AGRADECIMENTOS

Agradecemos a todos os colaboradores do Painel Global que têm tornado possível a continuidade do nosso trabalho, permitindo que os conteúdos permaneçam gratuitos e acessíveis a todos.

Nosso Muito Obrigado!

A campanha continua. Colabore também. Clique aqui.

Quarta-feira, 1 jul 2020 - 09h23
Por Maria Clara Machado

Força dos ventos do ciclone bomba provoca destruição no litoral paulista

O ciclone extratropical chamado de ciclone bomba continua provocando ventos intensos nesta quarta-feira. O fenômeno começou a se desenvolver ontem e recebeu essa denominação por ser muito intenso, com a pressão em seu centro inferiores a mil hPa. A sua proximidade provocou muitas rajadas de vento na noite e na madrugada no estado de São Paulo e houve destruição no litoral paulista.

Imagem de satélite desta quarta-feira, dia 1, mostra a posição do ciclone extratropical no mar. O ciclone bomba está gerando ventos fortes para o Sul e São Paulo. Crédito: Apolo11.
Imagem de satélite desta quarta-feira, dia 1, mostra a posição do ciclone extratropical no mar. O ciclone bomba está gerando ventos fortes para o Sul e São Paulo. Crédito: Apolo11.

Acompanhe a movimentação do Ciclone Bomba através de imagens de satélite em tempo quase real

A força dos ventos arrebentou amarras que prendiam barcos de pescadores e lanchas no píer em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo. As informações são que sete barcos e duas lanchas afundaram e outras embarcações foram danificadas. Apesar do incidente, não houve feridos.

Ontem, terça-feira, os maiores estragos se concentraram no Sul do Brasil. Os vendavais e temporais ocorreram no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná assustando a população. Foram muitos destelhamentos e queda de árvores, com destruições e cinco mortes no estado catarinense até o momento.

Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, as rajadas de vento provocadas pelo desenvolvimento do ciclone bomba passaram de 90 km/h em pelo menos oito municípios. Chapecó teve ventos de 108 km/h, Tangará de 111 km/h e em Lages de 120 km/h. Um furacão categoria 1 na escala Sáffir-Simpson gera ventos semelhantes já a partir de 119 km/h.

Vendaval derruba eucalipto de grande porte sobre caminhão na BR-153, em Concórdia, SC, na tarde de terça-feira. O motorista se feriu. Crédito: Imagem divulgada pela Rádio Rural.
Vendaval derruba eucalipto de grande porte sobre caminhão na BR-153, em Concórdia, SC, na tarde de terça-feira. O motorista se feriu. Crédito: Imagem divulgada pela Rádio Rural.

Ciclone bomba
A formação do ciclone extratropical no Sul do Brasil é comum nesta época do ano, mas este evento foi diferenciado por ser considerado muito forte. Os meteorologistas chamam de ciclone bomba, ciclones extratropicais em que a queda da pressão atmosférica no seu centro ocorre rapidamente, em média 1 hPa (medida hectopascal) por hora em 24 horas, ficando inferior a mil hPa.

É possível acompanhar o deslocamento do ciclone extratropical no mar na altura da Região Sul através das imagens de satélite. O ciclone bomba está indo em direção ao oceano e ventos fortes continuam no Sul e em São Paulo nesta quarta-feira, alertam os institutos de meteorologia.



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2020