Segunda-feira, 6 jan 2020 - 14h50
Por Maria Clara Machado

Poeira e fuligem transformam paisagem de geleiras da Nova Zelândia

A densa fumaça das dezenas de incêndios florestais que consomem o leste e o sudeste da Austrália atravessa o mar da Tasmânia desde novembro, levada por correntes de vento, e já alterou de forma evidente a cor de geleiras nos Alpes do sul da Nova Zelândia. A NASA divulgou imagens de satélite detalhadas da transformação na região.

Imagem de satélite mostra modificação dos Alpes do sul da Nova Zelândia atingido pela fumaça dos incêndios florestais da Austrália. Crédito: NASA.
Imagem de satélite mostra modificação dos Alpes do sul da Nova Zelândia atingido pela fumaça dos incêndios florestais da Austrália. Crédito: NASA.

É verão e o momento ideal para as caminhadas e o turismo nas deslumbrantes geleiras no interior da Nova Zelândia, mas aqueles que seguem encontram uma paisagem bastante modificada. A cor predominantemente branca em meio a montanhas nas geleiras no sul da Nova Zelândia se transformou em marrom-alaranjado.

Um grande rastro de fumaça dos graves incêndios da Austrália vem cobrindo algumas geleiras e imagens de satélite em alta resolução divulgadas recentemente pela NASA relevam essa lamentável transformação.

As imagens em cores naturais foram adquiridas no Landsat 8 e mostram no detalhe o antes e depois da região.

Imagem de satélite do sul da Nova Zelândia adquirida no dia 15 de dezembro de 2014. Crédito: NASA.
Imagem de satélite do sul da Nova Zelândia adquirida no dia 15 de dezembro de 2014. Crédito: NASA.

Imagem de satélite do sul da Nova Zelândia adquirida no dia 11 de novembro de 2019. Crédito: NASA.
Imagem de satélite do sul da Nova Zelândia adquirida no dia 11 de novembro de 2019. Crédito: NASA.

A primeira imagem mostra a paisagem original do extenso Parque Nacional Mount Aspiring, nos Alpes do sul da Nova Zelândia, e toda a área branca indica a neve e o gelo em dezembro de 2014. Já na segunda imagem comparativa, a neve o e gelo estão “sujos” pelas partículas de poeira e cinza que chegaram do país vizinho. São mais de cem geleiras que compõem esse magnífico deserto montanhoso.

Estudiosos da Universidade de Monash acreditam que os tons marrons e alaranjados são muito provavelmente poeira rica em óxido de ferro lançadas no ar pelos inúmeros incêndios florestais na Austrália e transportada pelo vento através do mar da Tasmânia.

Também há presença de carbono preto, partículas semelhantes à fuligem, que se espalham pela atmosfera quando os incêndios florestais queimam a vegetação, a madeira e outros materiais. Essas partículas causam uma descoloração escura sobre a neve.

Imagem comparativa do sul da Austrália entre dezembro de 2014 e novembro de 2019. A poeira e a fuligem que chegam à região transformaram a cor de algumas geleiras. Crédito: NASA.
Imagem comparativa do sul da Austrália entre dezembro de 2014 e novembro de 2019. A poeira e a fuligem que chegam à região transformaram a cor de algumas geleiras. Crédito: NASA.

O que dizem os cientistas
Essa é uma situação já observada outras vezes comprovada com amostras coletadas e não há dúvida de que a mudança de cor nas geleiras é resultado de poeira vinda geralmente do leste de Nova Gales do Sul, do noroeste de Victoria e do oeste de Queensland, declarou Hamish McGowan, cientista atmosférico da Universidade de Queensland.

Ainda segundo McGowan, as acumulações de poeira costumam acontecer só no final do verão austral e não no mês de novembro. A preocupação é que anos de seca severa poderão tornar o pó mais abundante sobre as geleiras e trazer conseqüências para o ambiente da região. É fato que a Austrália viveu um clima quente e seco muito rigoroso em 2019, com as temperaturas anuais mais altas já registradas.

Os cientistas devem esperar até o final do verão para analisar como as partículas escuras afetaram a massa das geleiras, ou seja, se elas tiveram uma ganho ou uma perda líquida de gelo. Caso o transporte de poeira e fuligem da Austrália se torne uma forte característica nos próximos verões, isso afetará de forma mais rápida a massa das geleiras nas próximas décadas, avaliam os pesquisadores.

Veja também o vídeo Terríveis incêndios florestais devastam Victoria, na Austrália disponível em nosso canal youtube.com/apolochannel





Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2020