Terça-feira, 8 out 2019 - 10h55
Por Maria Clara Machado

Satélite da Nasa capta grande extensão de fumaça na Bolívia

Grandes incêndios florestais na Bolívia continuam sendo destaque e já devastaram 5,3 milhões de hectares de mata apenas em dois meses. Uma área equivalente ao tamanho da Costa Rica. As chuvas que chegaram neste começo de outubro vieram para minimizar a situação.

Imagem em cor natural detectada pelo satélite TERRA da NASA no dia 28 de setembro. É possível observar uma extensa área esbranquiçada, indicando a fumaça de queimadas no país. Crédito: NASA Earth Observatory.
Imagem em cor natural detectada pelo satélite TERRA da NASA no dia 28 de setembro. É possível observar uma extensa área esbranquiçada, indicando a fumaça de queimadas no país. Crédito: NASA Earth Observatory.

O satélite TERRA da NASA, a agência espacial norte-americana, observou uma grande quantidade de focos de incêndio entre agosto e setembro e no dia 28 do mês passado a imagem acima foi capturada em cores naturais. É possível ver um extenso corredor de fumaça na área esbranquiçada, que contorna todo o leste do país em direção ao Paraguai e a Argentina, resultado das queimadas.

A maior parte dos incêndios florestais se concentra nas áreas secas de Chiquitano e do Chaco, além das matas do leste e sul da Bolívia. Também foram observados centenas de queimadas na região de Beni, no norte, e nas zonas úmidas do Pantanal, no leste.

Muitos incêndios ocorreram em terra de pastagens e cultivo, mas boa parte também atingiu parques nacionais e áreas de proteção ambiental, como por exemplo, em San Matias, em Otuquis e em Ñembi Guasu.

Incêndios na Bolívia são os mais intensos em 20 anos
Os incêndios florestais na Bolívia são considerados os mais intensos em 20 anos e já resultaram num gasto de cerca de R$ 80 milhões de reais em ações de combate ao fogo.

As chuvas que começaram a cair mais frequente sobre a região amazônica da Bolívia neste começo de outubro, somada aos esforços de contenção de milhares de militares, ajudaram a apagar os focos de fogo dos últimos dois meses. Autoridades comemoravam que nenhum foco de queimada tinha sido registrado em Chiquitano neste início de semana.

Focos de incêndio detectados durante a passagem do satélite TERRA na Nasa em 28 de setembro. Crédito: EOSDIS Wordview
Focos de incêndio detectados durante a passagem do satélite TERRA da Nasa em 28 de setembro de 2019. Crédito: EOSDIS Wordview

Uma grande camada de nuvens se espalha pela Bolívia e vem provocando chuva, o que ajudou a reduzir drasticamente o número de incêndios no país neste começo de outubro. Imagem do dia 7 de outubro. Crédito: EOSDIS Wordview
Uma grande camada de nuvens se espalha pela Bolívia e vem provocando chuva, o que ajudou a reduzir drasticamente o número de incêndios no país neste começo de outubro. Imagem do dia 7 de outubro de 2019. Crédito: EOSDIS Wordview

Últimos dados de queimadas divulgados pelo INPE
O monitoramente de queimadas feito pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) utilizando dados dos satélites da NASA mostra um total de 36.867 focos de fogo até o dia 7 de outubro em 2019 sobre a Bolívia. Um aumento de 71% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 21.550 focos.

O Brasil soma de janeiro até agora, 147.860 focos de incêndio. O crescimento em relação ao ano passado foi de 48%, quando foram detectados 99.304 focos no mesmo período.



Segunda-feira, 18 nov 2019 - 15h24


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2019