Dias   1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |
16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 |


    1
Administrador      
Olá pessoal. Apesar de a SpaceX negar que tenha havido algum problema com o foguete Falcon 9, os radares de ângulo estreito do USSTRATCOM (Comando de defesa aérea dos EUA, que fornece os elementos orbitais do Satview)continuam registrando pelo menos 20 objetos relacionados esse lançamento, ao invés de 7 ou 8 que deveriam estar no espaço. A Space-X nega uma explosão do foguete e diz que todos os seis satélites foram colocados em órbita. Como os radares do USSTRATCOM não conseguem detectar objetos menores que 10x10 cm, fica a pergunta. O que seriam esses objetos? No Satview eles podem ser rastreados a partir da denominação "2013-055X", onde X é uma letra quer vai de A à T. Vejam: [Ver no Satview] Além disso, esses objetos já estão reentrando na atmosfera. 2013-055L reentra hoje às 14h36 UTC e 2013-055I no dia 7 às 05h01 UTC. As reentradas podem ser acompanhadas nesta página: [Ver no Satview]
Klaus comentou
Bom dia Rogério...esse foguete tinha quantos estágios ou fases (como queira) ? Durante esse pocesso de separação ou lançamento dos satélites não podeia ter ocorrido algum tipo de acidente que lançaria ao espaço algum tipo de "detrito" ou objeto como tu descreveu ? digamos, não previsto ? E como os radares não conseguem detectar objetos menores que 10x10 cm....sei lá....!?!?
Administrador comentou
Pois então Klaus. A SpaceX informa que nada de errado aconteceu e que os mais de 10 objetos "a mais" podem ser provenientes do sistema de isolamento térmico. No entanto, eles dizem que não tem 100% de certeza sober isso: [Ver site] e [Ver site]
Raphael Cozzi comentou
e como os radares do USSTRATCOM sabem que os objetos em questão são relacionados ao lançamento?
Administrador comentou
Olá Raphael. Porque esse tipo de vigilância é uma das atribuições deles. No entanto, se você calcular a orbita e retroceder verá que existe um ponto em comum, que tem origem no momento da inserção. Você pode obter elementos orbitais de outras fontes diferentes, não só deles. É uma questão de facilidade e conveniência.
Rejaine Monteiro comentou
Muito estranho isso... Espero que eles consigam detectar a origem de tantos detritos. E falando em lixo espacial, alguma novidade sobre o GOCE?
Fabrício Oliveira Carvalho comentou
Boa tarde Rogério e à todos.O Satview mostra contato visual para o 2013-055L às 19h10 aqui na minha localização.Então se ele ainda não estiver reentrado ou se ele não tivesse explodido por exemplo, daria para ver? Fiquei na dúvida pois sei que quando o satélite está próximo da reentrada o rastreamento não é tão preciso.Segue-se uma captura da tela do satview.
Rejaine Monteiro comentou
Oi Rogério. No site spaceflight101.com tem uma informação sobre o Falcon9 (em mission updates) onde diz que houve um problema com o segundo estágio. Eu não entendi muito bem o que eles disseram lá, mas talvez vc lendo a informação possa esclarecer para gente e se isso pode ter ou não alguma relevância com o que vc postou acima...
Administrador comentou
Fabrício, provavelmente dá pra ver. O problema é saber o tamanho desse fragmento. Se for muito pequeno você vai precisar de um binóculo. O Satview não sabe o tamanho dele, apenas as condições de reflexão.
Fabrício Oliveira Carvalho comentou
Bom, o tempo por aqui parece estar melhorando(estava nublado à dias).Irei tentar avistar algo ou fotografar, mais tarde posto os resultados aqui.Obrigado pelo esclarecimento Rogério.
StarchildAninha comentou
Interessante Rogério! Aguardemos!
Fabrício Oliveira Carvalho comentou
Aqui não consegui avistar à olho nu não.Também não apareceu nada nas fotos (8" de exposição, abertura f3.1, ISO800 e com bem pouco aumento pois estou sem tripé rs).Se ainda não tiver reentrado deve ser pequeno esse fragmento.
Administrador comentou
Obrigado pelas observações, Fabrício! :-)
Fabrício Oliveira Carvalho comentou
Por nada :)


    2
Paschoal      
Boa tarde amigos. Tempo nublado em Porto Alegre-RS. Indago-lhes: alguém sabe algo a respeito desse anúncio da Nasa marcado para o dia 13 de novembro de 2013? O que isso significa? Até mais.
Paschoal comentou
Valeu obrigado.
Nogueira comentou
A NASA não tem nada a ver com o tal site. Ou seja, não tem nenhuma grande revelação a ser feita em novembro!, abços
Fernando Oliveira comentou
Correção: o site ao qual me referi abaixo foi criado depois, devido à suspeita de recolhimento de e-mails para spam.
Administrador comentou
Pessoal,se o link é fake e não tem nada a ver, porque está sendo postado aqui? Não é preciso posta-lo, basta dizer que é fake!
Raphael Cozzi comentou
O pior não é ser fake, eu li em alguns forums pessoas reportando que pegaram virus depois de acessar o link. spywares e malwares..


    3
Administrador      
Magnífica foto do cometa ISON, com diversas galáxias vistas na mesma cena. A foto foi feita com telescópio robótico da Itelescope, localizado no Novo México. Linda! [Ver site]
Klaus comentou
A imagem é excelente e eu não conhecia o site do iTelescope.net...valeu !
M. Ianner comentou
Muito linda mesmo...
Administrador comentou
Itelescope.net é uma rede de telescópios robóticos. É excelente, mas sua carteira fica leve em um piscar de olhos!
Meire Ruiz comentou
Ficou um espetáculo!


    4
M. Ianner      
Boa Noite Fukushima volta a preocupar: novo vazamento hoje, cerca de 430 litros de água com níveis de radioatividade muitas vezes superior ao limite legal foram despejadas no mar, nesta quarta-feira, depois de transbordar de um tanque, segundo as fontes. Consequências desastrosas...
Charles k comentou
M. Ianner, esses vazamentos radioativos, que ja estão ocorrendo desde o terremoto, estão contaminando diretamente o oceano. Nesse caso, essa água contaminada ja está rodando o globo pelas correntes maritimas e pode trazer alguma influencia radioativa em forma de precipitações para o nosso continente, por ex. Ou a quantidade do vazamento não chega a tanto? Vi relatos, que não sei se verdadeiros, que no RS pode ter acontecido chuva radioativa.
Astroman comentou
Vídeo de 2011 sobre as consequências de Fukushima. Eu vi assim que foi para a web.
M. Ianner comentou
Teríamos que fazer um estudo bem detalhado e seguir as correntes marítimas, levar em consideração áreas de maior evaporação, analisar plâncton numa extensão de milhares de Km, etc...Mas o fato é, de todas as maneiras desastroso, pois independentemente destes estudos, a contaminação em larga escala não só devido a frequência mas também às quantidades é uma REALIDADE. O que eu vejo como preocupante é que muitas consequências que acontecerão NORMALMENTE não poderão ser indicadas como influência direta da radioatividade de Fukushima, por que acontecerão em nível de DNA, RNA, ribossomas, em muitas localidades do planeta, etc. Simplesmente acontecerão sem controle algum.


    5
Paulo Gabriel      
Boa noite! No quadro "TERREMOTOS ANUAIS",deve ter ocorrido algum engano na colocação dos números de 2013 e projeção para 2013.
Administrador comentou
Estranho mesmo. Vamos verificar!
Administrador comentou
Após a verificação constatamos que o problema é devido à greve dos serviços públicos nos EUA.
Administrador comentou
Para não ficar estranho, recolocamos uma cópia do banco de dados de 26 de setembro. Vejam a página do USGS: [Ver site]
Luciano SC comentou
Pôxa vida, essas alturas até os e-mails que a NASA mandava para avisar da passagem da ISS, já devem ter sido cortados!



Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2019
Política de Privacidade