Dias   1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |
16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 |


    1
Debora7      
Boa noite a Todos. Guaratinguetá tempo agradável 17º, chuva 10% , Umidade 99% (coisa super rara)vento 6 km/h, céu nublado.
Júnior Vasconcelo comentou
Bom dia Débora, aqui está meio nublado, choveu pouco... Nesse momento está 26°C, com sensação de 29°C, umidade: 74% !
paranamarcelo comentou
Em Cascavel-PR, céu de brigadeiro, no momento 19ºC.


    2
Anônimo      
Nióbio, o Brasil é possuidor de 98% das jazidas de nióbio no mundo, esse metal extremamente raro é utilizado em ligas de aço de alta resistencia a corrosão e utilizado na industria mecanica, aeroespacial, naval, automobilistica, nuclear e outras, é também um super condutor.... Mas infelizmente as nossas reservas estão sendo delapidadas e esse metal tão precioso na industria está sendo vendido a preço de banana......
Anônimo comentou
Matéria se encontra no G1
everton dos santos comentou
Olá Rubens. Acho que o tema Nióbio deveria ser mais esclarescido, para nosso melhor entendimento. Mas o que o texto do G1 diz que é falso ou não comprovado, vc colocou aqui como aparentemente como verdadeiro! O texto e os tópicos no meio dizem: "Não há comprovação de que o produto é vendido a preço de banana" e "é falsa a informação de que nossas reservas estão sendo lapidadas". Não estou te criticando ou repreendendo. Só mostradno o que diz o texto. É só conferir no link [Ver site]
everton dos santos comentou
*"Dilapidadas"!
Anônimo comentou
Está correto Everton, obrigado, o que vc diz é verdade, a minha carroçanet nao abriu a pagina totalmente, agora vi e concordo com vc.


    3
paranamarcelo      
Nuvem em formato de funil na região oeste do Paraná Oenômeno parecido com um tornado ocorreu por volta das 17h desta segunda-feira (8), em Toledo, no oeste do Paraná.
paranamarcelo comentou
Esse não foi a única nuvem em forma de funil ontem aqui no Paraná, perto de Maringá também ocorreu. Segue link da matéria.


    4
MiguelPortugal      
ULTIMA HORA : 6.3º IRÃO SEGUIDO DE UMA RÉPLICA DE 5.4º
Silv Fab comentou
A cidade mais próxima ao epicentro é Bandar Bushehr, que está localizado no 83 km, esperemos que não tenha causado prejuízos.
Silv Fab comentou
localizados aos 83km de distância da cidade Bandar Bushehr.
Silv Fab comentou
desculpem, a cidade está aos 83 km do epicentro do terremoto no Irã.
Administrador comentou
O epicentro fica a 89 quilômetros de Bushehr, onde fica a única usina nuclear iraniana.
Silv Fab comentou
Rogério, á uma distância como essa e profundidade do terremoto, teria algum risco para essa usina nuclear?
Colombo comentou
Com toda a certeza esse sismo foi MUITO BEM SENTIDO na usina nuclear! Aguardando mais informações . Realmente algo muito forte seguido de um Aftershock Moderado..
Rejaine Monteiro comentou
Ola, pessoal. No G1 foi informado que houve pelo menos 3 mortes (segundo a TV estatal iraniana, que não deu mais detalhes) Ainda segundo a reportagem, o tremor foi sentido na usina, mas a estrutura não foi comprometida. Vamos aguardar maiores informações.
Administrador comentou
Acho uma distância muito grande para causar danos à usina, mas não tenho dúvidas que foi sentido por lá.
mary comentou
...vamos aguardar novas informações.... Esse tremor e alguns outros últimos próximos a região do Mediterrâneo, preocupa a população grega tbm.
everton dos santos comentou
Ultimo balanço é de 31 mortos e 700 feridos!
diegohdm comentou
Parece que a usina nuclear está ok. Mas o número de mortos vai subir mais.
Sandro Morelli comentou
Caros amigos, Segundo a Agência de notícias Iraniana PRESS o forte terremoto foi de 6,1 graus na escala Richter atingiu a cidade de Kaki perto da cidade iraniana de Bushehr, matando pelo menos 30 pessoas e deixando mais de 600 feridos. Segundo o Centro Sismológico iraniano, o terremoto atingiu a cidade de Kaki, cerca de 90 quilômetros a sudeste de Bushehr, às 4:22 pm, hora local (1152 GMT) na terça-feira, a uma profundidade de 12 quilômetros. O terremoto foi seguido de pelo menos quatro réplicas que sacudiram Kaki e da cidade vizinha de Khour-Mowj. A companhia russa que construiu a Usina Nuclear de Bushehr disse que o terremoto não afetou as operações na instalação. A usina está localizada está situado a 18 km ao sul de Bushehr e cerca de 160 quilômetros de distância da região atingida pelo terremoto. "O terremoto de forma alguma afectou o funcionamento normal do reator nuclear de Bushehr. Pessoal continua a trabalhar em regime normal e os níveis de radiação estão totalmente dentro da norma, citou um funcionário da usina. Operação de busca e resgate está em andamento na região atingida pelo terremoto. Em dezembro de 2010, um grande terremoto matou 31 mil pessoas na cidade de Bam, sudeste. Abraço a todos
Astroman comentou
Israel tem uma especial predileção por essa usina. E foi bem no dia em que o Irã inaugurou várias novas instalações nucleares no Dia Nacional de Tecnologia Nuclear(hoje). Shahid Rezaeenejad é um complexo para processamento de "yellow cake" e fica em Ardakan. Em Yazd foi inaugurado um complexo para extração de urânio a 350m de profundidade. Esse urânio será processado em "yellow cake" em Shahid Rezaeenejad. fonte: xinhuanet.com em espanhol
Colombo comentou
Réplica de 5.6


    5
jvcastro      
Prezado Rogério, Com todo o respeito, não gosto desse tipo de notícia que está em destaque no Apolo 11. Talvez seja ignorância minha ou falta de capacidade para compreender o texto, mas dar importância à simulação do som do big bang parece-me impróprio. Se entendi alguma coisa, o principal assunto da notícia é a propagação do som, então talvez este devesse ser o mote da notícia, e a tal simulação poderia ser apenas um detalhe, se é que esta simulação tem algum valor científico. Independente desta crítica (nada impede que eu repense), quero parabenizá-lo pelo trabalho.
ORTIZ comentou
Realmente, a primeira vista dá a entender que é o som do início da criação do universo e isso dá um nó na nossa cabeça, pois sabemos que estima-se que o Big Bang teve inicio há em 13 bilhões e propagar som no vácuo?!?. Falar em 700.000 anos confundi. PELO QUE ENTENDÍ, é uma reverberação de altas frequências que teve sua frequência dividida e reduzida á faixa audível (som) para que melhor possamos entender este comportamento, e ao ouví-la, nota-se a simulação do resfriamento do universo. Entendo que seja como uma foto que foi lançada ao universo, sendo da forma que a estamos vendo hoje, mas ocorreu a 13 bilhões de anos (que entende de sonorização, entenderá quando digo "reverberação"). É interessante colocar o fone no ouvido e curtir este som!
Administrador comentou
Olá Ortiz, é importante esclarecer que o som não se propaga somente pelo ar. É uma vibração mecânica que pode se propagar também pelos sólidos, líquidos e qualquer outro meio. A propagação pelo ar permite que nossos ouvidos as capte. As ondas de cisalhamento ou compressão dos terremotos se propagam pela rocha em frequencias extremamente baixas. É impossível percebe-las, mas quando aceleradas 2 ou 4 mil vezes pode ser "ouvidas". Foi isso o que o cientista fez. Pegou os dados gerados pelo Planck e acelerou 100^24 vezes, permitindo "ouvir" o deslocamento feito em 700 mil anos pela Radiação Cósmica de Fundo. Aqui tem o "som" do terremoto da Indonesia, de 8.6 magnitudes, registrado em 11 de abril de 2012. Se não me engano está acelerado 2 mil vezes. [Ver no Painel Global] JVcastro, entendo sua opinião, mas muita gente se interessa pelo assunto. Além disso, tem tudo a ver com o Apolo11, que é um site de ciências. :-)
Astroman comentou
Eu gostei.
froiwd comentou
tb gostei !!!:)
M. Ianner comentou
Gravei o som aqui no PC. Achei bem interessante. Vou fazer uns experimentos com uns programas de gravação e efeitos profissionais. Lembra um pouco aqueles sons de simuladores digitais, tipo amplitube.
MarcoAG comentou
Caro jvcastro, gostei de sua crítica, pois no final coloca-se disposto a repensar. Esse som foi produzido como também é feito com a luz nas imagens dos planetas das galáxias do céu profundo, para que com nossos parcos sentidos possamos entender esse universo inexplicável com palavras.
ORTIZ comentou
Ianer, este som é de sintetizador, sim. Cramer pegou os dados da radiação de fundo do WMAP e deu entrada num programa simulador de som de computador (Algebra/Matemática9) sintetizando para nossa faixa audível e gravou em extensão “wav". Quanto a afirmação de ser o "som da criação" literalmente falando, penso que foi "viajem na maionese" do cientista estadunidense John Cramer, pois o som não se propaga no vácuo (se bem que ele tenta defender até isso). Isto é uma simulação. Maiores detalhes busque no Google o Nome completo dele, onde ele dá inclusive o nome do programa.
jvcastro comentou
O bom é que suscitou este interessante debate e alguns comentários esclarecedores. O meu problema é a forma da notícia. Considero que meu conhecimento está no limite mínimo para a sua adequada compreensão. Muita gente vai concluir que está ouvindo o som do big-bang. A repetição da palavra "simulação" tende a salvar a coisa. Mas como não tenho sugestão para melhorar, daqui pra frente... volto ao silêncio. Mas se puderem continuar o debate, será gratificante.


    6
Márcio Vidigal      
Bom dia! A matéria " Meteoroides atingem a Lua e cientistas estudam o impacto da Terra " não está abrindo. O que aconteceu? Em Vitória-ES, 26ºC e céu nublado a encoberto.
Administrador comentou
Olá Marcio, obrigado por informar. Já está corrigido. [Ver no Apolo11]
Márcio Vidigal comentou
Boa noite Globais!!! Vi a matéria. Como sempre os conteúdos deste site são ótimas fontes de aprendizagem e aprimoramento no conhecimento a alcance de todos. Em Vitória-ES, Chuva moderada, 24ºC. Existem pontos de alagamentos ainda transitáveis na capital capixaba e região metropolitana neste momento e segundo as previsões meteorológicas, vem mais chuva.


    7
ricardo são Martinho sc      
Muito boa a materia sobre ecos do passado. Parabéns


    8
ricardo são Martinho sc      
Aqui em no sul de Santa Catarina tempo muito abafado e calor.


    9
Sandro Morelli      
Aproveitando a matéria "Meteoroides atingem a Lua e cientistas estudam o impacto da Terra" venho aqui levantar uma questão. Muito se tem falado de um impacto de um asteróide com o planeta terra, cálculos são feitos e refeitos. Existe até um monitoramento desses asteróides no site da Apolo 11. Alguns passam muito próximos, outros como o da Rússia, no dia 15/02, chegam a atingir nosso planeta, mas e se um grande asteróide atingisse a Lua? Não falo aqui de fragmentos, mas de um asteróide do tamanho do Apophis (300 a 500 m) de diâmetro? Quais seriam as consequências para a Terra, visto que, o impacto somado à falta de atmosfera na Lua arremessaria uma grande quantidade de material ao espaço, inclusive em direção à Terra?
Alan comentou
Isso sem dúvida pode acontecer um dia e seria um grande espetáculo! Mesmo assim, não traria mudanças significativas nem duradouras para a a terra. Para sentirmos grandes efeitos, nosso satélite deveria mudar sua órbita, e isso é muito difícil. Quanto a fragmentos, somos bem protegidos com a nossa atmosfera...
M. Ianner comentou
Boa Tarde Claro que aqui estamos falando de hipótese, até um tanto mórbida...Não sou especialista na área, mas devemos recordar que as marés são influenciadas enormemente pela Lua. Segundo o Dr. Prof. Giuliano Estevam, a quem eu tive a honra de ser aluno em duas disciplinas, a Lua não interfere nas "águas" propriamente mas sim na parte sólida da terra, de tal maneira, que quando sua distância varia, produz a diferença de marés. Assim sendo, um deslocamento abrupto da Lua, poderia deslocar enormes massas oceânicas e seriam quase imprevisíveis os danos. Mas deixo para os especialistas da área maiores explicações.


    10
ricardo são Martinho sc      
Aqui na minha cidade tem um grande astronomo João Steiner 54 anos ele é responsavel pelos telescopios mais modernos do mundo Nascido em São Martinho (SC), pequenina colônia alemã ao sul de Florianópolis, Steiner só aprendeu a falar português com 10 anos. Veio para SP fazer o vestibular em 1970 e, fora algumas escapulidas para os EUA, não saiu mais. Além de professor e pesquisador, já foi diretor do Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) e secretário de Coordenação das Unidades de Pesquisa do MCT, entre outros cargos. Hoje dirige o conceituado Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP. Fora todo o trabalho no SOAR.
Nori comentou
Olá Ricardo. Que bom se houvesse contato com ele através RG.



Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2019
Política de Privacidade