Dias   1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |
16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 |


    1
Dina      
Hoje ocorreu um fenômeno maravilhoso nos céus de Rondônia. Nos facebook, fotos maravilhosas de um halo sobre a Capital.


    2
M. Ianner      
Boa Tarde Gostaria de contribuir para o aprofundamento da compreensão das consequências da radiação de Fukushima e seu espalhamento através dos mares e oceanos. Convido aos amigos do RG para lerem esta matéria: [Ver site]
M. Ianner comentou
Este tipo de post não tem o objetivo de causar alarde ou polêmica mas sim nos situar na realidade que estamos vivendo. " Se dar conta da realidade pode ser amargo e triste, mas não tão terrível quanto vivê-la sem consciência."
lucfon comentou
M. Lanner, tudo que leio sobre Fukushima tem notícia ruim. Desde as obras emergenciais que foram feitas de forma irregular para conter as águas contaminadas até tais águas que vazem sem controle para o mar. A conta está chegando e a natureza já está pagando com a vida. E o governo japonês e a Tepco não tem recursos para resolver o imenso problema.
Taís comentou
[Ver site] - Reator nuclear número 1 na usina Daiichi Fukushima pode ter sofrido dano em grande escala.
mary comentou
Concordo M.lanner... não tem o que alarmar de algo que já aconteceu e está em acontecimento. A pergunta é: o que a humanidade pensa sobre isso? Vai continuar ignorando a existência da Usinas Nucleares , não só do Japão, mas todas que estão espalhadas pelo planeta? O ser humano não tem a capacidade de lidar com esse tipo de energia e brinca de cientista. fato.
Sousa comentou
Tudo que existe no nosso planeta é energia, tu a moveres-te é energia, um pão em cima de mesa é energia, ele a cair produz outra energia e após o pão bater no chão liberta mais energia...o quero dizer é que existem milhões de formas de produzir energia neste planeta...Basta procura-la e explora-la...Não é necessário o uso de energia nuclear.
Administrador comentou
A energia que move a economia mundial está baseada na eletricidade e no petróleo. A índústria usa quase exclusivamente a energia elétrica. A vida social também está centrada na energia elétrica. Se engana quem pensa que é fácil obter, através de meios alternativos, a vultuosa quantidade de energia atualmente consumida no mundo. Se engana também quem pensa que não existem estudos para tentar obte-la. A maior parte desses estudos são bancados justamente pelas grandes empresas de geração de energia. O problema é que, até este momento, não existe uma forma prática de gerar energia elétrica em grandes quantidades que não seja através da água dos rios, queima de combustível fóssil ou fissão nuclear. E todas as três causa ou pode causar enormes danos ao ambiente. Sem exceção. A geração eólica é realmente bastante interessante, mas quando se pensa na quantidade necessária a ser gerada, percebe que o impacto ambiental será tão ou mais severo que o das outras três. A conversão fotovoltaica também é interessante e a eficiência das células aumentou muito na última década, além das células estarem um pouco mais baratas. No entanto, para a geração em larga escala seriam necessários parques fotoelétricos absurdamente grandes, do tamanho de cidades, cujo impacto ambiental seria ainda mais danoso. Sem contar que o processo para a fabricação das células também tem impacto brutal. Outra opção, bem mais radical seria não usar mais nada elétrico ou eletrônico. Moraríamos em aldeias e faríamos fogueiras para iluminar ou aquecer nossas choupanas, mas essa é outra história, já que ningúem quer abrir mão do conforto proporcionado pela eletricidade. Na minha opinião, a alternativa (viável) é uma revolução no modelo de produção ou conversão de energia, que passaria a ser pessoal e não mais em larga escala como é hoje em dia. Essa seria destinada somente à indústria. O aquecimento para a água do banho ou cozimento é relativamente fácil de ser obtido por aquecimento direto, enquanto a energia eletérica necessária nos afazeres cotidianos seria fornecida por placas solares e acumuladores de alta eficiência. No entanto, com os preços praticados atualmente essa opção só é viável para os mais abastados. Recentemente fiz uma pesquisa de preços para minha casa e o valor para geração elétrica atingiu 40 mil reais com placas solares por todo o telhado. Por enquanto, projeto adiado, mas é por aí.
Astroman comentou
Muito bom texto, Rogério. A energia nuclear é defendida como senda a mais limpa mas...
Vania C. comentou
Bom dia! Que explicação perfeita Rogério! Concordo plenamente com você. Ao contrário do que se pensa a energia atômica é a mais limpa, porque não provoca grande impacto ambiental diretamente, o problema são os acidentes (terremoto, negligência, falha técnica). Se você fizer uma comparação entre uma usina nuclear gerando energia por 50 anos e uma queima de fóssil por 50 anos, o que vai gerar mais danos ao ambiente? Particularmente acho que as pessoas deveriam gerar sua própria energia, mas como?
Marcelo Fernandes comentou
Uma pergunta: Se o uso de placas solares é importante nesse processo e traria benefícios, por que o governo não patrocina ou cria projetos para facilitar o uso dessas placas pela população? Poderia, por exemplo, escolher uma comunidade pequena para um projeto piloto. Isso traria economia no gasto de luz para os moradores, economia para a nação, diminuição de ligações clandestinas e verificação da viabilidade da expansão do projeto para outras regiões, ou até sua a utilização em âmbito nacional. Falo com leigo no assunto e peço perdão se me equivoquei em minhas ideias por falta de conhecimento mais aprofundado sobre o tema!
Administrador comentou
Olá Marcelo, bom dia! Em comunidades pequenas é bem viável e no Brasil nós temos diversos projetos-pilotos em funcionamento. Mas ainda é muito cara!
Astroman comentou
Na Espanha tem uma pequena cidade que colocou placas solares no cemitério local.
Astroman comentou
São 462 painéis no cemitério de Santa Coloma de Gramenet, próxima a Barcelona.


    3
Pat      
Boa tarde, Segundo o satview o lixo espacial COSMOS 2251 DEB (930368) devera reentrar hoje e em uma das passagens ele será visível aqui no Brasil ( nas minhas coordenadas às 19:58 h). Alguém tem mais alguma informação? Obrigada!
Administrador comentou
Olá Pat. Normalmente, esses fragmentos do COSMOS 2251 são pequenos e difíceis de serem observados. A previsão de reentrada tem margem de erro, mas é interessante observar a passagem pois se ele reentrar sobre sua localidade é possível ver o meteoro, mesmo que efêmero e de curta duração.
Pat comentou
Entendi, obrigada!


    4
Administrador      
Uma prévia do Outburst do cometa ISON!
lecoflor 1 comentou
uau!!!
Aline comentou
Boa noite! Belas imagens do ISON... estou ansiosa pelo espetáculo..
Dione Moraes comentou
Boa noite, Administrador. Belíssimo espetáculo. Estou acompanhando atentamente toda a sua trajetória e evolução. Obrigado por brindar-nos com essas imagens.
Wanderson Psico comentou
Alguma notícia, do ISON, de hoje?
Thiago comentou
Wanderson, conforme matéria do Apolo 11 já é visível a olho nú ao nascer do sol! Achei essa simulação de como será a visibilidade no dia 25/11 se o ritmo de brilho do cometa for mantido! [Ver site]
Wanderson Psico comentou
Legal Thiago, porque amanheci hoje olhando o céu a olho nú e com telescópio e o sol nasceu e não vi sequer uma manchinha para dizer que fosse o ISON, veremos amanhã.
Lucas Ruschel comentou
Boa noite pessoal, Rogério, existe alguma chance de de ver o nosso querido ISON a olho nú no Rio Grande do Sul nos próximos dias?
Thiago comentou
Estou no hemisfério norte e agora Ison está a olho nu!


    5
Sousa      
Boa Noite! Um satélite Alemão descobriu que está um Gigantesco Iceberg a deriva e pode se dirigir para o Oceano atlântico Norte. O Iceberg, tem 700 kilometros quadrados (mais ou menos do tamanho da ilha da Madeira, cientistas de todo o Mundo, estão a vigiar a trajectória do mesmo, já que pode por em perigo navegações.
Gui bnu comentou
A BBC afirma que um iceberg se desprendeu da Antártida, então pode ameaçar apenas rotas marítimas do atlântico sul. Confere?
Charles k comentou
Peritos dizem que o Iceberg que se desprendeu da Antártida com dimensão de 87 km quadrados se desfragmentou não oferecendo mais risco aos navegadores.
Gui bnu comentou
BBC fala em 700 Km2, já a voz da Rússia fala em 87 Km2. Ambos falam ser do tamanho de Manhattan que tem 87,46 Km2. É muita desinformação pra um cubo de gelo gigante!
Sousa comentou
A fonte da minha noticia é daqui da Europa, por isso não sei se é a BBC que está correcta ou a Informação do lado dos Russos, mas por agora estamos a frente 2-1...e joga a bola para a frente! hehe
everton dos santos comentou
O iceberg B-31 tem aproximadamente 700 km quadrados. A fenda que o criou foi detectada em 2011. O iceberg nem bem se separou do glaciar Pine Island, Antártida, como mostra a imagem em anexo. Ainda vai levar um bom tempo para que o iceberg consiga deixar a baía de Pine Island. Pode levar meses ou anos até ele chegar em mar aberto. Nesse video, a evolução da fenda [Ver site]



Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2019
Política de Privacidade