AGRADECIMENTOS

Agradecemos a todos os colaboradores do Painel Global que têm tornado possível a continuidade do nosso trabalho, permitindo que os conteúdos permaneçam gratuitos e acessíveis a todos.

Nosso Muito Obrigado!

A campanha continua. Colabore também. Clique aqui.

Sexta-feira, 7 ago 2020 - 09h24
Por Maria Clara Machado

Atividade na ilha vulcânica de Nishinoshima cresce sem parar há 4 meses

Desde que a ilha vulcânica de Nishinoshima, no Japão, surgiu acima da superfície do oceano em 2013, seu comportamento vem sendo acompanhado com atenção pelos especialistas. A atividade do vulcão cresceu significativamente em maio de 2020 e deste então, não diminuiu mais.

Imagem do satélite Aqua, da Nasa, mostra em cores reais, a grande nuvem de cinzas saindo do vulcão em Nishinoshima no último dia 3 de agosto. Crédito: Earthobservatory/NASA.
Imagem do satélite Aqua, da Nasa, mostra em cores reais, a grande nuvem de cinzas saindo do vulcão em Nishinoshima no último dia 3 de agosto. Crédito: Earthobservatory/NASA.

Imagens recentes capturadas pelo satélite Aqua, da NASA, mostram em cores reais a extensa nuvem de cinzas que continua saindo da cratera do vulcão. Cientistas estimaram que a nuvem de cinzas atingiu, aproximadamente, 4900 metros acima do nível do mar no dia 3 de agosto.

É um pouco mais da metade da altura da pluma observada no mês passado, em 4 de julho, quando chegou a 8300 metros no céu, a maior altitude das cinzas desde que Nishinoshima surgiu.

A ilha vulcânica de Nishinoshima faz parte do arquipélago de Ogasawara, no Pacífico, um arco de ilhas vulcânicas localizadas a cerca de mil quilômetros de Tóquio, no Japão.

Imagem do satélite Aqua, da Nasa, mostra grande atividade do vulcão em Nishinoshima, no dia 4 de julho. A nuvem de cinzas atingiu 8300 metros no céu, a maior altitude desde que a ilha vulcânica surgiu em 2013. Crédito: Earthobservatory/NASA
Imagem do satélite Aqua, da Nasa, mostra grande atividade do vulcão em Nishinoshima, no dia 4 de julho. A nuvem de cinzas atingiu 8300 metros no céu, a maior altitude desde que a ilha vulcânica surgiu em 2013. Crédito: Earthobservatory/NASA

Nishinoshima intriga os cientistas
Segundo a Autoridade de Informação Geoespacial do Japão, com base em informações coletadas pelo satélite TROPOMI, da ESA (Agência Espacial Europeia) a porção sul da ilha cresceu entre 140 e 180 metros entre 19 de junho e 3 de julho de 2020, o maior aumento observado em uma ilha vulcânica neste intervalo de tempo.

Leia também:
Imagens de satélite registram formação de ilha vulcânica no Pacífico


Alerta nível 3
A Agência Meteorológica do Japão (AMJ) mantém ativo o alerta nível 3, na cor laranja, para a área do vulcão em Nishinoshima. Este status se mantém há várias semanas.
Dentro dos avisos há advertência para uma possível influência de erupção sobre o oceano Pacífico no raio de 25 quilômetros do vulcão.

O alerta nível 3 indica que a possibilidade de erupção poderá afetar severamente lugares próximos ao vulcão e por isso, é necessário manter a distância da região.



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2020