Segunda-feira, 4 abr 2022 - 15h04
Por Maria Clara Machado

Evento extremo em Angra dos Reis e Ubatuba superou 600 mm de chuva

Mais um evento extremo surpreendeu pela quantidade de chuva em um curto de período de tempo, desta vez sobre áreas da Costa Verde, no Rio de Janeiro e do litoral norte de São Paulo. Foram mais de 500 mm de chuva despejados em várias estações desde a quinta-feira passada, dia 31.

Rodovia Oswaldo Cruz, em Ubatuba, interditada por queda de barreira e rochas no fim de semana, depois de muita chuva. Crédito: Divulgação Prefeitura de Ubatuba
Rodovia Oswaldo Cruz, em Ubatuba, interditada por queda de barreira e rochas no fim de semana, depois de muita chuva. Crédito: Divulgação Prefeitura de Ubatuba

Ubatuba
Em Ubatuba, no litoral paulista, a chuva aumentou na virada de março para abril e provocou diversos problemas durante o fim de semana. No bairro Camburi, que está totalmente isolado pela enchente, cerca de 60 pessoas permanecem desalojadas em uma escola municipal.

Houve queda de barreiras e muitas interdições nas Rodovias Rio-Santos, Tamoios e Oswaldo Cruz. Esta última continua fechada nos dois sentidos na altura do km 66 ao 89, no trecho entre Taubaté e Ubatuba, devido à queda de barreira e árvores.

A Rio-Santos ainda tem um ponto de interdição, no km4, depois de uma ruptura em parte da pista e deslizamentos de barreiras e rochas no fim de semana, segundo as informações da Prefeitura de Ubatuba.

Costa Verde
No Rio de Janeiro, além de ocorrências de alagamentos, a chuva forte provocou novamente graves deslizamentos de terra. Os números atualizados pela Defesa Civil são de 18 mortos no total na região da Costa Verde e Baixada Fluminense em decorrência da chuva forte dos últimos dias. Mais de 300 pessoas estão desabrigadas em Angra dos Reis.

Segundo o órgão, subiu para 10 o número de vítimas fatais em Angra dos Reis, além das sete vítimas da mesma família já registradas na comunidade de Ponta Negra, em Paraty, após deslizamentos de terra e uma em Mesquita, em consequência de uma descarga elétrica. Ainda existem pelo menos quatro pessoas desaparecidas em Ilha Grande e as buscas continuam nesta segunda-feira, dia 4.

Volume de chuva superou 600mm!
As estações do Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) registraram volumes de chuva excepcionais, muito acima do normal para o período.

Angra dos Reis teve a chuva mais volumosa da sua história, segundo a Prefeitura. Alguns locais registraram quase 700 mm. Crédito: Divulgação Polícia Militar de Angra dos Reis
Angra dos Reis teve a chuva mais volumosa da sua história, segundo a Prefeitura. Alguns locais registraram quase 700 mm. Crédito: Divulgação Polícia Militar de Angra dos Reis

A cidade de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, registrou 587 milímetros de chuva em Itamambuca, 534 mm em Puruba, cerca de 400 mm nas estações do Centro da cidade, e mais de 340 mm em praias como Lázaro, Lagoinha e Tenório, entre a manhã de quinta-feira e a manhã do domingo.

Essa quantidade de chuva extraordinária equivale a dois meses chuvosos inteiros de precipitações na cidade.

Em Angra dos Reis, que teve o decreto de emergência reconhecido pelo governo neste domingo, o volume de chuva histórico foi ainda mais surpreendente.

Em dois dias, foram despejados quase 700 mm de chuva na área do continente em Angra dos Reis e quase 600 mm na Ilha Grande, segundo informações da prefeitura. 28 sirenes do sistema de Alerta soaram na madrugada do sábado alertando para os possíveis deslizamentos de terra.

Acesse também:

INMET confirma que temperaturas estão mais altas e temporais mais frequentes no Brasil

Clique aqui para ouvir nossos Podcasts!



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022