Sexta-feira, 6 nov 2020 - 13h45
Por Maria Clara Machado

Filipinas monitoram o vulcão Mayon após grande deslizamento de lama e pedras

O Instituto de Vulcanologia e Sismologia das Filipinas (PHIVOLCS) monitora atentamente o vulcão Mayon após ser atingido há poucos dias pelo super tufão Goni, o mais forte do ano até agora. A passagem de Goni sobre o vulcão provocou enormes fluxos de lama e pedras que soterraram cerca de 300 casas em Guinobatan, na província de Albay, no norte das Filipinas.

Enormes fluxos de lama e pedras do Vulcão Mayon atingiram cerca de 300 casas em Guinobatan, na prvíncia de Albay no dia primeiro de novembro. Crédito: Imagem aérea divulgadas pelas autoridades das Filipinas.
Enormes fluxos de lama e pedras do Vulcão Mayon atingiram cerca de 300 casas em Guinobatan, na prvíncia de Albay no dia primeiro de novembro. Crédito: Imagem aérea divulgadas pelas autoridades das Filipinas.

As tempestades geradas pela chegada do super tufão Goni no dia primeiro de novembro, se misturaram aos materiais do vulcão Mayon, como pedras, cinzas e lama arrastando o que havia pela frente. As autoridades relataram danos generalizados e a morte de duas pessoas, além de desaparecidos.

Passagem do super tufão Goni provocou grande deslizamento de lama do vulcão Mayon no dia primeiro de novembro. Crédito: Divulgação Cruz Vermelha das Filipinas/Foto Martin Gabriel Buendia Rayala.
Passagem do super tufão Goni provocou grande deslizamento de lama do vulcão Mayon no dia primeiro de novembro. Crédito: Divulgação Cruz Vermelha das Filipinas/Foto Martin Gabriel Buendia Rayala.

Vulcão Mayon está no alerta 1
O boletim do vulcão Mayon emitido pelo PHIVOLCS nesta sexta-feira, dia 6, relata que o monte registrou dois terremotos vulcânicos e quatro eventos de queda de rochas no período de 24 horas.

Também foi relatada a emissão moderada de plumas carregadas de vapor branco. Outros dados mostram que continua a inflação ou crescimento das encostas inferiores a médias.

Assim sendo, o PHIVOLCS encontra-se no nível de alerta 1. Neste nível, nenhuma erupção magmática é iminente, mas é fortemente recomendado que as pessoas estejam afastadas da Zona de Perigo Permanente, num raio de 6 quilômetros do vulcão, devido o risco de deslizamentos de terra , queda de rochas, saída repentina de cinzas e vapor do cume.

O PHIVOLCS ainda reforçou que mantém o monitoramento do vulcão Mayon e qualquer novo status será comunicado a região.

Cerca de 300 casas em Albay foram soterradas numa avalanche de lama e pedras do vulcão Mayon no dia primeiro de novembro. Crédito: Divulgação Cruz Vermelha das Filipinas/Foto Martin Gabriel Buendia Rayala.
Cerca de 300 casas em Albay foram soterradas numa avalanche de lama e pedras do vulcão Mayon no dia primeiro de novembro. Crédito: Divulgação Cruz Vermelha das Filipinas/Foto Martin Gabriel Buendia Rayala.

O super tufão Goni tocou o solo das Filipinas pela província Albay, na ilha de Luzon e pela ilha de Catanduanes extremamente forte com ventos de 310 km/h e chuvas torrenciais. Mais de 400 mil pessoas foram deslocadas. O super tufão deixou 20 mil moradias destruídas e mais de 55 mil parcialmente danificadas, segundo balanço divulgado pelas autoridades.

Acesse também:

NASA mostra do alto o super tufão Goni que superou ventos de 300 km/h



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021