Quinta-feira, 22 jul 2021 - 15h11
Por Maria Clara Machado

Fumaça de incêndios no oeste dos EUA atravessa o país e chega à Nova York

A densa fumaça provocada por dezenas de incêndios florestais que ardem no oeste dos Estados Unidos foi impulsionada pelos ventos percorrendo cerca de 4 mil quilômetros até a costa leste chegando à Nova York. A fumaça deixou a cidade de Nova York em meio a uma bruma empoeirada e fez o índice da qualidade do ar atingir a pior marca em 15 anos.

Fumaça de incêndios florestais do oeste dos EUA cobriu a cidade de Nova York na quarta-feira, dia 21. Crédito: Imagem divulgada pelo twitter oficial @NWSNewYorkNY
Fumaça de incêndios florestais do oeste dos EUA cobriu a cidade de Nova York na quarta-feira, dia 21. Crédito: Imagem divulgada pelo twitter oficial @NWSNewYorkNY

Depois de dois dias nebulosos, a virada no tempo com o avanço de uma frente fria estava ajudando a dispersar a fumaça na tarde de ontem. Hoje pela manhã, a fumaça já não parecia tão densa.

Um ar mais fresco e seco invadiu Nova York pela manhã e o sol se misturou entre nuvens com um pouco de neblina possivelmente da fumaça ainda persistente, relatou o Serviço de Meteorologia da cidade.

Amanhecer em Nova York nesta quinta-feira, dia 22. A fumaça já não era tão densa pela manhã. Crédito: Imagem divulgada pelo twitter oficial @NWSNewYorkNY
Amanhecer em Nova York nesta quinta-feira, dia 22. A fumaça já não era tão densa pela manhã. Crédito: Imagem divulgada pelo twitter oficial @NWSNewYorkNY

Um mapa divulgado pela NASA mostra como estava a concentração de fuligem das queimadas sobre a América do Norte no dia 21 de julho. O modelo, que inclui observações por satélites de aerossóis e incêndios, gera dados da concentração de carbono negro e juntamente com dados meteorológicos como a temperatura do ar, a umidade e os ventos, consegue simular o caminho da pluma.

A fumaça dos incêndios florestais partiu de focos na Colúmbia Britânica (Canadá) em Oregon (EUA), Washington (EUA) e na Califórnia (EUA) em direção ao leste dos Estado Unidos. Também há concentração de fuligem nas províncias canadenses Manitoba e Ontário e que invadiu o nordeste dos Estados Unidos.

Mapa indica a concentração de fuligem sobre a América do Norte no dia 21 de julho. Crédito: NASA
Mapa indica a concentração de fuligem sobre a América do Norte no dia 21 de julho. Crédito: NASA

Uma imagem de satélite mostra densas plumas de fumaça produzidas pelo Bootleg Fire, o maior incêndio ativo até a agora da temporada de 2021. O satélite Aqua, da NASA, capturou a imagem em resolução moderada no último domingo, dia 18, quase duas semanas depois do início do fogo, que se propaga na divisa de Oregon com a Califórnia e já consumiu cerca de 120 mil hectares de vegetação.

Imagem de satélite mostra grandes plumas de fumaça do Bootleg Fire, o maior incêndio atualmente nos EUA. Crédito: NASA
Imagem de satélite mostra grandes plumas de fumaça do Bootleg Fire, o maior incêndio atualmente nos EUA. Crédito: NASA

Acesse também:

80 grandes incêndios florestais consomem mais de 400 mil hectares nos EUA

Ouça o podcast Pantanal: a catástrofe ambiental de 2020 pode ser repetir?



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021