Sexta-feira, 11 jun 2021 - 11h18
Por Maria Clara Machado

Grande nuvem de poeira do Saara alcança o Caribe e pode chegar à Flórida

Uma nova nuvem de poeira vinda do Deserto do Saara atravessou o Atlântico e alcançou o sul do Caribe, lembrando a monstruosa nuvem Godzilla de 2020, a mais intensa observada na região em décadas. Todos os anos fortes tempestades de poeira se formam na África entre a primavera e o verão e são levadas pelos ventos alísios em direção ao oceano. A nuvem desta semana poderá alcançar o sul da Flórida em poucos dias.

Imagem do satélite GOES-16 do dia 11 de junho mostra a grande massa do poeira se estendendo por todo o Atlântico entre a costa da África e o sul do Caribe. Crédito: NOAA
Imagem do satélite GOES-16 do dia 11 de junho mostra a grande massa do poeira se estendendo por todo o Atlântico entre a costa da África e o sul do Caribe. Crédito: NOAA

Grande nuvem de poeira pode inibir os furacões
A notícia da chegada da grande nuvem de poeira no Caribe pode ser positiva para o início da temporada de furacões na região, que começou oficialmente no dia primeiro de junho.

A presença da grande camada de ar do Saara seca e empoeirada sobre as águas do Atlântico e do mar Caribe acaba inibindo a concentração de umidade, condição essencial para a formação das tempestades tropicais e dos furacões. Exatamente como aconteceu em 2020, a nuvem do Saara deve barrar a formação dos fenômenos tropicais por alguns dias neste começo de temporada.

Outra particularidade é que as finas partículas de poeira reduzem a quantidade de luz solar que incide sobre o oceano, reduzindo o aquecimento da superfície das águas e resfriando a própria atmosfera enquanto a nuvem está presente.

A imagem acima do satélite GOES-16 da NOAA da sexta-feira, 11 de junho, mostra a grande mancha em tom marrom, que se espalha desde a África até o Caribe. No detalhe abaixo, a poeira tomando conta das inúmeras ilhas ao sul do Caribe.

Credito: NOAA
Credito: NOAA


Outra imagem destaca o contraste de umidade. Os tons mais fortes amarelo e laranja indicam onde o ar está mais seco, com baixa umidade, em razão da enorme massa de poeira.

Crédito: NOAA
Crédito: NOAA

Previsão indica que poeira vai alcançar a Flórida
A modelagem GEOS-5 da NASA, que projeta o deslocamento da poeira, está indicando que a massa deve avançar sobre o Caribe em direção ao sul da Flórida nos próximos dias.

Até o domingo, dia 13, a concentração de poeira deve aumentar progressivamente sobre Porto Rico, a República Dominicana, o Haiti, a Jamaica e o leste de Cuba. No começo da semana, a poeira deve se espalhar mais por Cuba e chegar ao sul da Flórida, conforme a previsão do modelo para o dia 15 de junho.

Modelagem mostra a concentração de poeira sobre o sul do Caribe no dia 11 de junho. Crédito: NASA
Modelagem mostra a concentração de poeira sobre o sul do Caribe no dia 11 de junho. Crédito: NASA

Modelagem mostra a concentração de poeira sobre várias áreas do Caribe no domingo, dia 13. Crédito: NASA
Modelagem mostra a concentração de poeira sobre várias áreas do Caribe no domingo, dia 13. Crédito: NASA

Modelagem mostra a poeira alcançando o sul da Flórida na terça-feira, dia 15 de junho. Crédito: NASA
Modelagem mostra a poeira alcançando o sul da Flórida na terça-feira, dia 15 de junho. Crédito: NASA

Os efeitos da grande nuvem do Saara
A grande camada de névoa empoeirada que atinge 3 a 5 quilômetros de espessura e pode persistir por dias, ou até semanas, dependendo das condições atmosféricas da região, afeta diretamente a qualidade do ar e visibilidade.

São dias opacos, com pouco sol e muita concentração de poeira, que pode agravar as doenças respiratórias e causar irritação nos olhos.

Por outro lado, sabe-se que as partículas de poeira são fertilizantes naturais e repõem nutrientes sendo altamente benéficas para o solo. Especialistas da NOAA afirmam que mais de cem milhões de toneladas de poeira do Saara são transportadas anualmente em direção às Américas. Parte dessas partículas, inclusive, chega até a Floresta Amazônica.

A histórica nuvem Godzilla de 2020
A grande nuvem do Saara de 2020, chamada pelos especialistas de nuvem Godzilla viajou cerca de 10 mil quilômetros sobre até o oeste do Caribe, o Golfo do México e o sul dos Estados Unidos no final de junho e entrou para história. Ela permaneceu monstruosamente por vários dias e foi um dos fenômenos mais densos deste tipo visto sobre a região em meio século.

Nuvem Godzilla de 2020 vista a bordo da Estação Espacial Internacional. Crédito: NASA
Nuvem Godzilla de 2020 vista a bordo da Estação Espacial Internacional. Crédito: NASA

Acesse também:

Imagens de satélites mostram conexão entre diferentes sistemas na Terra



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021