Quarta-feira, 12 ago 2020 - 15h57
Por Maria Clara Machado

Imagens de satélite revelam transformações na Baía de Hudson

Enquanto em muitas partes do Ártico o derretimento do gelo marinho foi veloz até meados de 2020, as condições estão diferentes na Baía de Hudson, no nordeste do Canadá, durante este verão. Imagens de satélite revelaram que a área de gelo marinho estava mais generosa no mês de julho beneficiando diretamente a vida de espécies da região e em especial a preservação do urso polar.

Imagens de satélite da Nasa comparam a quantidade de gelo marinho na Baía de Hudson entre os dias 13 e 19 de julho. Este ano a área de gelo está mais generosa beneficiando os ursos polares. Crédito: Earthobservatory/NASA.
Imagens de satélite da Nasa comparam a quantidade de gelo marinho na Baía de Hudson entre os dias 13 e 19 de julho. Este ano a área de gelo está mais generosa beneficiando os ursos polares. Crédito: Earthobservatory/NASA.

Imagens capturadas em cores naturais pelo satélite Suomi NPP, da NASA, destacam o rebaixamento do gelo marinho no oeste e sudoeste da Baía de Hudson entre os dias 13 e 29 de julho de 2020. É comum o gelo do mar derreter por completo entre junho e agosto e começar a congelar novamente em outubro ou novembro.

Conforme as placas de gelo vão se rompendo, as imagens vão sendo capturadas. É possível observar na primeira imagem uma área extensa coberta por gelo marinho na Baía da Hudson ainda no dia 13 de julho e na sequência em 29 de julho uma parte do gelo persistindo sobre o sudoeste Baía.

Imagem de satélite da Baía de Hudson em 13 de julho de 2020. Crédito: NASA
Imagem de satélite da Baía de Hudson em 13 de julho de 2020. Crédito: NASA

Imagem de satélite da Baía de Hudson em 29 de julho de 2020. Crédito: NASA.
Imagem de satélite da Baía de Hudson em 29 de julho de 2020. Crédito: NASA.

O que as imagens ajudam a revelar?
Estudiosos explicam que os ursos polares saem em busca da foca e de outras presas quando a Baía está coberta de gelo. Quando o gelo derrete no verão, os ursos recuam para a terra e podem ficar em jejum até que o gelo volte a se formar.

Cientistas observaram que vários ursos ainda estavam no gelo no final de julho, mesmo com o pouco gelo que ainda restava. O comportamento dos animais este ano esteve mais próximo do que era observado em décadas anteriores de 1980 e 1990.

“Foi realmente surpreendente quanto tempo eles permaneceram no mar. Podemos estar testemunhando uma mudança no comportamento deles”, afirmou Andrew Derocher, cientista da Universidade de Alberta, que faz parte do grupo de pesquisa e monitoramento das populações de ursos polares na Baía de Hudson.

Urso Polar. Imagem ilustrativa. Crédito: Wikipedia.
Urso Polar. Imagem ilustrativa. Crédito: Wikipedia.

Os ursos polares do oeste da Baía de Hudson estão desaparecendo há décadas. Dados mostram que a população de ursos caiu de 1.200 em 1980 para 800 em anos recentes, muito em razão do declínio em ritmo crescente da área de gelo marinho no verão.

Apesar do verão 2020 estar atípico permitindo um tempo extra de caça para os ursos, é uma situação pontual e por enquanto não compensa a sequência de anos de gelo escasso, que os ursos vêm enfrentando para sobreviver.



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021