Terça-feira, 13 jul 2021 - 10h01
Por Maria Clara Machado

Incêndio no Parque Nacional das Emas é controlado após cinco dias de combate

Cerca de 28 mil hectares, ou aproximadamente 28 mil campos de futebol, foram consumidos pelo fogo, que começou a partir da construção de aceiros, no Parque Nacional das Emas, em Goiás. A vegetação extremamente seca contribuiu para que grandes chamas se alastrassem desde sexta-feira e mais de setenta bombeiros trabalharam cinco dias consecutivos para conter o incêndio principal.

Incêndio de grande proporção começou no Parque Nacional das Emas no dia 9 e consumiu o equivalente a 20 mil campos de futebol. Crédito: Imagem de divulgação Parque Nacional das Emas.
Incêndio de grande proporção começou no Parque Nacional das Emas no dia 9 e consumiu o equivalente a 20 mil campos de futebol. Crédito: Imagem de divulgação Parque Nacional das Emas.

Ouça o podcast Pantanal: a catástrofe ambiental de 2020 pode ser repetir?

Fogo começou a partir de um aceiro
O Parque Nacional das Emas, no sudoeste de Goiás, é uma unidade de conservação brasileira predominantemente de Cerrado com grande diversidade de flora e fauna nos seus 133 mil hectares sendo considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO desde 2001.

A direção do parque confirma que o incêndio começou a partir da construção de aceiros que acabou com o fogo saindo de controle, em decorrência de problemas com dois caminhões que ajudavam na operação. Tudo está muito seco, o que está dificultando este tipo de trabalho considerado de risco, afirmam os profissionais.

Os aceiros são feitos pelos brigadistas que normalmente queimam de maneira controlada uma faixa da vegetação e vão contendo o fogo na sequencia. A área serve como uma espécie de barreira de proteção para que no caso do surgimento de um incêndio este não se espalhe para uma ampla área. É um trabalho de risco, mas usual para evitar as queimadas de grandes proporções.

Ontem, o fogo conseguiu ser controlado no interior do parque, mas ainda ameaçava às outras áreas de vegetação externas ao redor do local. Hoje, a direção do parque informou que o incêndio principal está controlado, mas o monitoramento e os trabalhos ainda seguem em menores focos de fogo isolados.

A vegetação é predominantemente de Cerrado no Parque Nacional de Goiás, que tem 133 mil hectares. Crédito: Divulgação Parque Nacional das Emas
A vegetação é predominantemente de Cerrado no Parque Nacional de Goiás, que tem 133 mil hectares. Crédito: Divulgação Parque Nacional das Emas

Goiás está em sexto lugar no ranking de queimadas este mês
Goiás é o sexto estado no ranking de queimadas nesta primeira quinzena de julho. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), foram detectados por satélites 275 focos de fogo em 12 dias. O risco de fogo é alto em razão da baixa precipitação nesta época do ano e consequentemente da vegetação muito seca.

Os estados de Mato Grosso, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e o Maranhão antecedem Goiás no ranking de queimadas até agora neste mês.

Levando em conta a quantidade de focos de fogo anual, Goiás acumula 1279 focos desde o começo do ano, uma alta de 26% na comparação com o mesmo período de 2020.

Acesse também:

Ouça o podcast Conheça a nova página de ENERGIA do Apolo11

Onda de calor desencadeia centenas de incêndios florestais no nordeste da Rússia



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021