Sexta-feira, 20 mai 2022 - 08h48
Por Maria Clara Machado

La Niña pode influenciar positivamente temporada de furacões do Pacífico Central 2022

A NOAA está prevendo uma nova temporada de furacões mais branda na região do Pacífico Central este ano. O fenômeno La Niña deve influenciar positivamente a quantidade de tempestades que irão se formar sobre as águas nesta parte do oceano.

Imagem de satélite mostra o olho do furacão Douglas numa distância mínima da costa de Maui em 27 de julho de 2020. Douglas foi o último furacão a raspar a costa do Havaí. Crédito: Worldview/NASA.
Imagem de satélite mostra o olho do furacão Douglas numa distância mínima da costa de Maui em 27 de julho de 2020. Douglas foi o último furacão a raspar a costa do Havaí. Crédito: Worldview/NASA.

A projeção oficial dos centros de previsão da NOAA divulgada na última quarta-feira, dia 18, é de uma probabilidade de 60% da atividade de tempestades tropicais ficarem abaixo do normal na temporada do Pacífico Central em 2022.

O cenário também indica 30% de uma temporada perto da normalidade e apenas 10% de chance de uma temporada de furacões acima do normal.

Você também pode gostar de ouvir o Podcast É tempo de preparação para a nova temporada de furacões

Como o La Niña vai ajudar?
Em 2022 são esperados de 2 a 4 sistemas, entre depressões, tempestades tropicais e furacões, na região ativa da bacia do Pacífico Central, que podem afetar principalmente o arquipélago do Havaí. Uma estação normal registra perto de 4 a 5 sistemas.

Os especialistas apontam que o fenômeno La Niña, caracterizado pelo resfriamento anormal da superfície do mar do Pacífico Equatorial, deve influenciar a região dificultando a formação das tempestades.

“O La Niña em curso provavelmente causará forte cisalhamento vertical do vento (rápida variação da velocidade das correntes de vento), tornando mais difícil para os furacões se desenvolverem ou se moverem para o Oceano Pacífico Central”, afirmou Matthew Rosencrans, previsor de furacões sazonais da NOAA.

A temporada de furacões do Pacífico Central, assim como do Atlântico Norte, começa oficialmente no dia primeiro de junho e termina em 30 de novembro.

A temporada de 2021 também foi abaixo do normal no Pacífico Central comparado à outros anos. Somente três fenômenos se formaram sobre as águas da região no ano passado: Felicia, Linda e Jimena, e apenas a última evoluiu para tempestade tropical.

A novidade de 2022 é o satélite GOES-18, da NOAA, lançado em março e já em operação realizando observações da terra. Este satélite será usado pela NOAA para rastrear e prever fenômenos sobre o oceano Pacífico.

Veja as primeiras imagens do Hemisfério Ocidental capturadas pelo novo satélite geoestacionário GOES-18 no último dia 11 de maio:

Relembre:

Olho do furacão Douglas passa raspando na costa do Havaí

Acesse também:

La Niña vai continuar e inverno pode ser rigoroso no Brasil



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022