Sexta-feira, 13 mai 2022 - 10h51
Por Maria Clara Machado

La Niña vai continuar e inverno pode ser rigoroso no Brasil

O evento do La Niña 2022 deve continuar por vários meses, segundo as novas projeções divulgadas pela NOAA esta semana. Os indicativos mostram, inclusive, o aumento da chance do evento ter continuidade a partir de outubro. Isto significa que o inverno deste ano será sob efeito do La Niña, o que resulta em mais frio para o Brasil.

Mapa mostra em azul a área do Pacífico equatorial central e leste onde a temperatura da superfície do mar está abaixo do normal indicando o evento de La Niña prolongado. Crédito: Divulgação NOAA
Mapa mostra em azul a área do Pacífico equatorial central e leste onde a temperatura da superfície do mar está abaixo do normal indicando o evento de La Niña prolongado. Crédito: Divulgação NOAA

A temperatura da superfície do Pacífico equatorial precisa estar no mínimo 0,5°C abaixo do normal por três trimestres prolongados para que o La Niña seja caracterizado.

Este resfriamento da superfície do mar no Pacífico equatorial abaixo da média vem sendo prolongado e intenso, o que não era observado nesta época há vários anos.

Chance do La Niña permanecer aumenta no segundo semestre
As chances de La Niña, entretanto foram alteradas diminuindo no final do verão do Hemisfério Norte, mas aumentando a partir do outono.

A chance atual é de 58% da continuidade do La Niña entre agosto e outubro de 2022. Durante o outono e o início do inverno de 2022 do Hemisfério Norte, ou primavera e início do verão no Hemisfério Sul, a probabilidade aumenta para 61%.

As temperaturas da superfície do mar até aproximadamente 100 metros de profundidade persistiram abaixo da média em todo o Oceano Pacífico equatorial central e leste durante o mês de abril. Outros fatores como anomalias de ventos, que dominam a região do Pacífico equatorial, também refletiram a continuação do La Niña.

Segundo análises de especialistas do Serviço Nacional de Meteorologia da NOAA, há indicações através de modelos de um fortalecimento das condições de La Niña novamente a partir de outubro de 2022.

Probabilidade do La Niña continuar nos próximos trimestres. Crédito: Divulgação NOAA
Probabilidade do La Niña continuar nos próximos trimestres. Crédito: Divulgação NOAA

E o Brasil como fica?
A continuidade do La Niña significa frio rigoroso para partes da América do Sul, incluindo o Brasil no próximo inverno.

A anomalia de temperatura da superfície do mar no Pacífico equatorial central divulgada pela Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA) esta semana foi de -1,2°C, numa referência que vai de -1,0°C a -1,4°C. É o valor mais baixo observado em maio há pelo menos duas décadas, de acordo com levantamento divulgado pela METSUL.

No Pacífico equatorial leste, a anomalia foi de -1,5°C, numa referência de -1,5°C a -1,9°C, sendo que as observações nesta região têm relação mais direta com o clima no Brasil.

Os eventos de massas polares rigorosas e as temperaturas muito baixas no centro-sul do Brasil devem chamar bastante atenção. O frio acaba sendo mais rigoroso em invernos de La Niña. Assim como, pode chover mais do que o normal na Região Nordeste do Brasil.

A meteorologia já prevê uma forte onda de frio antecipando o inverno na próxima semana. O Sul deverá ter temperaturas negativas e até neve e o estado de São Paulo frio intenso abaixo de 10°C.

Ouça também o Podcast É tempo de preparação para a nova temporada de furacões



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022