Terça-feira, 6 abr 2021 - 16h32
Por Maria Clara Machado

Lago de lava continua subindo no cume do Kilauea faz 100 dias

Já faz cem dias que um enorme lago de lava que surgiu dentro da cratera Halemaumau do Kilauea, continua subindo sem parar, enquanto a atividade do vulcão permanece neste começo de abril. Atualmente o vulcão encontra-se no nível de alerta laranja para erupção. O Kilauea fica no Parque Nacional dos Vulcões do Havaí e é monitorado constantemente pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

Erupção em curso dentro da cratera Halemaumau no cume do Kilauea no dia 2 de abril de 2021. Crédito: USGS/ L. DeSmither
Erupção em curso dentro da cratera Halemaumau no cume do Kilauea no dia 2 de abril de 2021. Crédito: USGS/ L. DeSmither

Um lago de lava em ebulição
O Observatório de Vulcão Havaiano (HVO) relatou na segunda-feira, que a abertura oeste da cratera Halemaumau derramava mais lava sobre o lago, que está atualmente com 225 metros de profundidade, conforme medido por um telêmetro a laser.

A água que estava acumulada na cratera Halemaumau dentro do cume do Kilauea há cerca de um ano e meio transformou-se em um grande lago efervescente em 20 de dezembro de 2020, depois da nova erupção que abriu três fissuras nas paredes da cratera despejando lava em todo o lago.

Em 30 de dezembro de 2020, o lago de lava do Kilauea media 181 metros de profundidade. Em 7 de janeiro deste ano, o lago de lava tinha 194 metros de profundidade e ultrapassava o volume de 27 milhões de metros cúbicos.

A efusão de lava continua abastecendo constantemente a porção oeste do lago, embora em uma taxa mais baixa através de um canal com crostas e uma entrada submersa, afirma o último relatório do HVO. Já a porção leste do lago tem a crosta de lava estagnada e solidificada.

Imagens aéreas visuais e térmicas durante a erupção dentro da cratera Halemaumau coletadas no último dia 26 de março mostram que a lava superficial ativa se concentra no lado oeste do lago, enquanto a porção leste do lago estagnou. A escala do mapa térmico varia de azul a vermelho, sendo o azul o indicativo da temperatura mais fria e o vermelho da temperatura mais quente.

Imagens aéreas visuais e térmicas durante a erupção dentro da cratera Halemaumau coletadas no dia 26 de março. Crédito: USGS/B. Carr/Domínio Público.
Imagens aéreas visuais e térmicas durante a erupção dentro da cratera Halemaumau coletadas no dia 26 de março. Crédito: USGS/B. Carr/Domínio Público.

Avisos ativos
Os altos níveis de gás vulcânico por conta da atividade constante no cume do Kilauea são a maior preocupação neste momento. Grande quantidade de vapor de água, dióxido de carbono e dióxido de enxofre são continuamente liberados nas erupções do vulcão. Especialmente o enxofre cria uma névoa visível transportada pelo vento com potencial risco à saúde de residentes e visitantes, além de danificar as plantações agrícolas e criações de animais. A área da cratera Halemaumau permanece fechada ao público por motivos de segurança.

O lago de lava na cratera Halemaumau permanece ativo e continua subindo desde 20 de dezembro de 2020. Crédito: Imagem do dia 5 de abril de 2021/USGS/N. Deligne
O lago de lava na cratera Halemaumau permanece ativo e continua subindo desde 20 de dezembro de 2020. Crédito: Imagem do dia 5 de abril de 2021/USGS/N. Deligne

É fato que os geólogos acompanharão de perto os movimentos do Kilauea e seu novo lago de lava. O vulcão é o mais jovem e ativo do Havaí. Sua grande última erupção aconteceu em 2018 também na cratera Halemaumau, quando parte do cume desabou. O Kilauea vem registrando erupções esporádicas desde o ano 2000.

Acesse e relembre:

Vulcão Kilauea está ativo alimentando um enorme lago de lava



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021