Quinta-feira, 6 mai 2021 - 16h38
Por Maria Clara Machado

México está enfrentando uma das piores secas generalizadas em décadas

O México está vivenciando umas das secas mais intensas e generalizadas não observada em décadas. Autoridades da Cidade do México consideram a pior escassez de água em 30 anos. Os recursos hídricos estão preocupantes para consumo da população e o uso na agricultura e na irrigação. Até um templo histórico está mais visível na represa de La Purísima, em Zangarro.

O templo da Virgem das Dores, em Zangarro, ressurgiu na represa de La Purísima por conta do baixo nível das águas. Crédito: Foto divulgada pelo twitter.
O templo da Virgem das Dores, em Zangarro, ressurgiu na represa de La Purísima por conta do baixo nível das águas. Crédito: Foto divulgada pelo twitter.

Grandes reservatórios estão com os níveis de água extremamente baixos e as condições de seca afetam pelo menos 85% do território mexicano.

São cerca de 60 reservatórios, especialmente do norte e do centro do México, que estão com os níveis abaixo de 25% da capacidade. Com a redução do fluxo de água, as torneiras já começam a secar em algumas áreas.

Um mapa baseado em dados de satélite e divulgado pela NOAA/NASA evidencia as áreas em que o estresse hídrico está maior, no período entre fevereiro e 30 de abril. As manchas verdes indicam valores negativos, ou seja, taxas de evaporação da superfície da terra e das plantas muito abaixo do normal devido a pouca umidade.

Mapa indica o estresse hídrico que se agrava em muitas áreas do México. A seca já atinge 85% do país. Crédito: NOAA/NASA
Mapa indica o estresse hídrico que se agrava em muitas áreas do México. A seca já atinge 85% do país. Crédito: NOAA/NASA

O que diz a meteorologia do México
De acordo com o Serviço Meteorológico Nacional do México, o noroeste e o nordeste do país já estão classificados em seca extrema, o que vai afetar diretamente a produção agrícola, como o milho no estado de Sinaloa, por exemplo.

Os meses mais secos no México, que se estendem de outubro a abril, tiveram 20% menos chuva do que o normal, afirmou a meteorologia. Além disso, as temperaturas foram extremas e ficaram acima de 35°C em áreas do leste, oeste e sudeste do México. Outro agravante apontado pelos especialistas foi a La Niña, que acabou trazendo pouca chuva também nos meses mais úmidos em 2020, pois as águas do Pacífico leste estavam mais frias.

O resultado é que o México está caminhando para uma das piores secas generalizadas já registradas no país. O México enfrentou condições extremas em 2011 com a seca atingindo 95% do território. Em 1996, outra seca histórica gerou enormes perdas na agricultura.

Espera-se que com a diminuição da La Niña e o aquecimento das águas do Pacífico, a chuva tão esperada possa retornar. É preciso que a chuva chegue para todas as áreas de forma mais uniforme.

Templo histórico ressurge em represa seca
O templo da Virgem das Dores, em Zangarro, no estado de Guanajuato, no interior do país, ressurgiu na represa de La Purísima. A cidade de Irapuato foi inundada em 1973 e nove anos depois começava a construção da represa. A história conta que aproximadamente 1.200 hectares foram submersos e os habitantes deslocados com resistência. Uma nova comunidade próxima ao local foi então fundada com o mesmo nome.

A Igreja abandonada, datada de meados do século XIX e conservando o estilo neoclássico e barroco, tem uma parte visível que até hoje atrai visitantes, mas com a forte seca e o baixo nível das águas é possível ver e caminhar em outras partes da construção que normalmente estariam submersas.

O reservatório de La Purísima está atualmente com metade da sua capacidade, segundo dados de monitoramento das represas do México.

Acesse também:

Sinal amarelo: Pantanal está sob decreto de emergência ambiental



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021