Segunda-feira, 11 out 2021 - 10h53
Por Maria Clara Machado

Novos fluxos de lava com até 10m de altura levam o restante de Todoque, em La Palma

A ilha de La Palma viveu mais um domingo assustador com o aumento da atividade vulcânica do Cumbre Vieja, que não apresenta sinais de calma há três semanas. Segundo o Instituto Vulcanológico de Canárias (INVOLCAN), o desabamento parcial do flanco norte do vulcão provocou mais explosões que lançaram gigantescos blocos de lava.

Imagem do grande fluxo de lava ardente escorrendo em direção a Todoque, em La Palma, no domingo, dia 10 de outubro. Crédito: Imagem capturada por drone do Instituto Geológico e Mineiro da Espanha.
Imagem do grande fluxo de lava ardente escorrendo em direção a Todoque, em La Palma, no domingo, dia 10 de outubro. Crédito: Imagem capturada por drone do Instituto Geológico e Mineiro da Espanha.

De acordo com informações atualizadas pelo INVOLCAN, a Rede Sísmica Canária detectou quase 35 mil terremotos na ilha de La Palma desde 10 de setembro. O tremor mais forte foi de 4.2 magnitudes e nas últimas 24 horas foram registrados 176 tremores, sendo de magnitude máxima de 3.4.

Ocorrem dezenas de abalos sísmicos na madrugada e os novos fluxos de lava do domingo foram tão violentos que chegaram a alcançar 10 metros de altura e novamente escorreram pelo vulcão provocando mais destruição na ilha. As autoridades informaram que o mar de lava de 1240°C levou pela frente o restante do município de Todoque.

Veja imagens do enorme fluxo de lava e rochas do Cumbre Vieja sendo derramada sobre La Palma, capturadas por drone do Instituto Geológico e Mineiro da Espanha:

Apesar de assustador, não houve vítimas, nem feridos, pois a região atingida pertence à zona de exclusão onde milhares de pessoas já tinham sido evacuadas quando o Cumbre Vieja despertou no dia 19 de setembro.

Através de imagens de Satélite do Sistema Europeu Copernicus é possível estimar que quase 500 hectares já foi destruído pela lava em La Palma, além de mais de 110 edificações. Desde o início da erupção, já foram nove fluxos de lava escorrendo pelo vulcão e três permanecem ativos.

Zonas isoladas formadas pelos fluxos de lava derrados sobre La Palma nas últimas semanas. Os especialistas chamam de ilhas de biodiversidade. Crédito: Divulgação @involcan
Zonas isoladas formadas pelos fluxos de lava derrados sobre La Palma nas últimas semanas. Os especialistas chamam de ilhas de biodiversidade. Crédito: Divulgação @involcan

Os pesquisadores estão realizando estudos de campo sobre os impactos da erupção nas comunidades desde que o Cumbre Vieja entrou em atividade. A enorme quantidade de fluxos de lava já formou diferentes zonas isoladas como espécies de ilhas de biodiversidade, enquanto o delta que cresce onde a lava flui pelo Atlântico, em Tazacorte, já atinge até agora uma superfície de 34 hectares, o equivalente a 34 campos de futebol.

Imagem do delta crescente onde a lava do Cumbre Vieja é despejada sobre o Atlântico. A superfície já chega a 34 hectares. Crédito: Divulgação @Durhan Volc
Imagem do delta crescente onde a lava do Cumbre Vieja é despejada sobre o Atlântico. A superfície já chega a 34 hectares. Crédito: Divulgação @Durhan_Volc

Acesse também:

Coluna de erupção do Cumbre Vieja resulta em imagem rara no céu



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021