Segunda-feira, 31 jan 2022 - 09h44
Por Maria Clara Machado

Perigo de deslizamentos continua com mais chuva volumosa em São Paulo

Todo o estado de São Paulo continua em perigo para mais chuvas volumosas e temporais nesta segunda-feira, dia 31, alerta a meteorologia e a Defesa Civil. As chuvas que não pararam no fim de semana resultaram em deslizamentos de terra, soterramentos, transbordamentos de rios e inundações, que deixaram mais de vinte vítimas fatais na região metropolitana de São Paulo até o momento.

Bombeiros trabalham na madrugada na busca por desaparecidos no grande deslizamento em Franco da Rocha, região metropolitaba de São Paulo. Crédito: Divulgação Prefeitura de Franco da Rocha
Bombeiros trabalham na madrugada na busca por desaparecidos no grande deslizamento em Franco da Rocha, região metropolitaba de São Paulo. Crédito: Divulgação Prefeitura de Franco da Rocha

As atualizações das prefeituras da Grande São Paulo são de 21 mortos até o início desta segunda-feira, mas ainda há desaparecidos. Entre as cidades mais atingidas estão Franco da Rocha, Francisco Morato, Várzea Paulista e Embu das Artes, somando a maioria das vítimas, incluindo crianças. Cerca de 500 pessoas estão desalojadas em onze cidades do estado.

Um grande deslizamento na Rua São Carlos, em Franco da Rocha, arrastou diversas casas e soterrou pelo menos onze pessoas. São 5 mortos até agora e os trabalhos de remoção dos escombros na busca por desaparecidos se estenderam durante todo o fim de semana e continuam desde a madrugada desta segunda-feira.

Chuva de 300 mm
A meteorologia prevê mais chuva generalizada para o estado de São Paulo e há alerta de chuvas volumosas entre 30 e 45 milímetros para hoje previstos pela Climatempo.

Meteorologia alerta para novos deslizamentos e alagamentos com chuva persistente sobre São Paulo neste começo de semana. Crédito: Divulgação Defesa Civil
Meteorologia alerta para novos deslizamentos e alagamentos com chuva persistente sobre São Paulo neste começo de semana. Crédito: Divulgação Defesa Civil

Estações do Centro Nacional de Monitoramento e Desastres Naturais (CEMADEN) registraram mais de 200 milímetros de chuva em várias localidades da Grande São Paulo e do interior do estado entre a noite da última quarta-feira, quando o tempo começou a mudar, e este domingo.

Foram cinco dias consecutivos de chuva que encharcaram mais o solo e elevaram o nível dos rios de áreas que já vinham recebendo temporais desde o começo do ano.

Choveu 257 mm na estação Parque Paulista, em Franco da Rocha e 255 mm na estação Jardim Alegria, em Francisco Morato entre os dias 26 e 30, volumes que superaram a média do mês. Campinas, Jaú e Jundiaí acumularam entre 260 mm e 280 mm também nos últimos cinco dias.

Deste total, os valores superaram 110 mm só entre o sábado e o domingo em várias
localidades. A média de chuva de janeiro varia de 250 a 300 mm na maior parte do estado de São Paulo.

Já na capital paulista, a quantidade de chuva do mês superou os 300 mm na estação oficial do Mirante de Santana, do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), sendo a média de janeiro de 288,2 mm.

Barragem Paiva Castro
A chuva sem trégua aumentou o nível dos reservatórios da região metropolitana e a Barragem Paiva Castro, localizada entre Franco da Rocha e Mairiporã, está com 78% da capacidade. As comportas permanecem fechadas, mas o monitoramento é constate e famílias já foram removidas da região.

Terceira ZCAS em dois meses no Brasil
O sistema meteorológico que derramou tanta chuva sobre São Paulo é a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Um corredor de umidade se forma e a chuva é constante, muitas vezes volumosa, normalmente caindo sem parar por mais de três dias podendo chegar a dez dias seguidos. Os meteorologistas explicam que a formação meteorológica da ZCAS a partir de uma frente fria é comum no verão.

A imagem de satélite do dia 29 de janeiro mostra um corredor de umidade formado entre o Sudeste e o Norte do Brasil. A Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) está provocando muita chuva sobre o estado de São Paulo. Crédito: Worldview/NASA
A imagem de satélite do dia 29 de janeiro mostra um corredor de umidade formado entre o Sudeste e o Norte do Brasil. A Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) está provocando muita chuva sobre o estado de São Paulo. Crédito: Worldview/NASA

O Brasil teve a formação de duas ZCAS bastante intensas nos últimos dois meses. Primeiramente a chuva foi excepcional sobre o sul da Bahia em dezembro, deixando centenas de municípios isolados e em emergência com milhares de pessoas afetadas.

Depois, a chuva foi arrasadora em Minas Gerais, principalmente na primeira quinzena de janeiro, com cenário semelhante à Bahia.

Este terceiro episódio de ZCAS está sobre as Regiões Sudeste e Centro-Oeste com maior concentração de chuva sobre o estado de São Paulo.



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022