Terça-feira, 8 mar 2022 - 09h48
Por Maria Clara Machado

Poeira do Saara avança em direção ao céu da América do Sul e do Caribe

A poeira proveniente do Deserto do Deserto do Saara, na África, está novamente viajando pelo Atlântico norte, cruzando o oceano em direção à América do Sul e ilhas do Caribe. Modelos de previsão do programa europeu Copernicus indicam partículas próximas ao norte do Brasil.

Imagem de satélite mostra uma grande nuvem de poeira avançando da parte continental da África para a região de Cabo Verde, no Atlântico Norte no dia 3 de março. Crédito: Sentinel3/ESA/Copernicus
Imagem de satélite mostra uma grande nuvem de poeira avançando da parte continental da África para a região de Cabo Verde, no Atlântico Norte no dia 3 de março. Crédito: Sentinel3/ESA/Copernicus

As previsões de modelos numéricos ligado ao programa europeu de observação da Terra, Copernicus, estão indicando a presença de aerossóis próximos à costa do Amapá, no Brasil e da Guiana Francesa, se dispersando posteriormente sobre outras partes da região amazônica, mais ao norte da América do Sul, e ilhas caribenhas.

É possível observar a mancha amarela indicando as partículas de poeira sobre as regiões na projeção válida até a quarta-feira às 21UTC. Supercomputadores do ECMWF, Centro Europeu para Previsões Meteorológicas de Médio Prazo, realizam o monitoramento atmosférico global de diversas partículas como aerossóis, monóxido de carbono, metano, dióxido de enxofre, entre outras.

Modelo de previsão indica o avanço das partículas de poeira vindas do Saara em direção ao norte da América do Sul e ilhas caribenhas. Crédito: Copernicus/ECMWF
Modelo de previsão indica o avanço das partículas de poeira vindas do Saara em direção ao norte da América do Sul e ilhas caribenhas. Crédito: Copernicus/ECMWF

A imagem do satélite Sentinel3 do dia 3 de março já mostrava com definição a grande tempestade de poeira saindo da parte continetnal da África em direção ao céu de Cabo Verde. As previsões do final da semana passada também já demonstravam a poeira andando em direção ao norte do Brasil.

A poeira do Saara pode percorrer este trajeto de mais de 3 mil quilômetros sobre o oceano Atlântico anualmente dependendo dos ventos alísios que sopram entre os trópicos na região da linha do Equador de leste para oeste e conseguem impulsionar as partículas.

É uma massa empoeirada muito seca e por isso tem a capacidade de reduzir a formação de tempestades e furacões, por exemplo, sobre o Atlântico. Em níveis mais baixos da atmosfera pode prejudicar a qualidade do ar de uma determinada região e mudar a cor do céu.

A poeira do Saara tem um papel importantíssimo na adubação e fertilização da Floresta Amazônica. As toneladas de partículas que chegam por aqui todos os anos trazem elementos enriquecedores para o solo como o fósforo e o cálcio.

Você também pode acessar nossos podcasts aqui!



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022