AGRADECIMENTOS

Agradecemos a todos os colaboradores do Painel Global que têm tornado possível a continuidade do nosso trabalho, permitindo que os conteúdos permaneçam gratuitos e acessíveis a todos.

Nosso Muito Obrigado!

A campanha continua. Colabore também. Clique aqui.

Quarta-feira, 16 set 2020 - 10h26
Por Maria Clara Machado

Satélite mostra imagem detalhada da fumaça de queimadas em São Paulo

O incêndio que começou nas matas da Serra do Mursa, região de Várzea Paulista em São Paulo, na segunda-feira a noite, já consumiu cerca de 2 milhões de metros quadrados, o equivalente a 280 campos de futebol. A queimada ainda não está totalmente controlada e o tempo seco e os ventos agravaram a situação. O estado contabiliza 1549 focos de queimadas em quinze dias neste mês de setembro.

Imagem de satélite mostra os rastros de fumaça espalhados pelo interior de São Paulo e os pontos de fogo detectados no dia 13 de setembro. Crédito: Worldview/NASA.
Imagem de satélite mostra os rastros de fumaça espalhados pelo interior de São Paulo e os pontos de fogo detectados no dia 13 de setembro. Crédito: Worldview/NASA.

A imagem de satélite detalhada do estado de São Paulo foi capturada pela NASA no último dia 13 de setembro, depois de uma semana muito quente e seca, revelando vários rastros de fumaça espalhados pelo interior. Os pontos laranja são as anomalias termais, indicando pontos de queimadas nas matas, capturados pelos satélites TERRA e AQUA, da NASA. Foram contabilizados 79 focos de fogo nas últimas 48 horas, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Incêndio na Serra do Mursa, que começou segunda-feira a noite, já consumiu o equivalente a 280 campos de futebol. Crédito: Divulgação Defesa Civil de São Paulo.
Incêndio na Serra do Mursa, que começou segunda-feira a noite, já consumiu o equivalente a 280 campos de futebol. Crédito: Divulgação Defesa Civil de São Paulo.

A Defesa Civil chama a atenção para os cuidados nesta época do ano, quando a chuva é escassa. Nenhuma fogueira deve ser feita ou fogo deve ser ateado em áreas próximas à mata ou terrenos, durante o clima seco e com a presença de ventos, o que pode causar um incêndio de grandes proporções. Sabe-se que a grande maioria dos incêndios ocorre, acidentalmente ou não, por ação humana.

Bombeiros atuam no combate ao incêndio nas matas em São José da Boa Vista na segunda-feira. Crédito: Divulgação Defesa Civil do estado de São Paulo.
Bombeiros atuam no combate ao incêndio nas matas em São José da Boa Vista na segunda-feira. Crédito: Divulgação Defesa Civil do estado de São Paulo.

Número de queimadas no Pantanal é o maior em 22 anos

Aumento disparado das queimadas
O interior de São Paulo está queimando mais este ano e o número de total de focos de fogo já é 106% maior na comparação com 2019, segundo o INPE, que divulga os dados baseados no monitoramento por satélites da NASA.

Os dados disponíveis para consulta indicam que somente na primeira quinzena de setembro foram detectados 1549 focos de queimadas. O total de janeiro até agora está em 4293 focos, contra 2080 no mesmo período do ano passado.

Até o momento, é possível afirmar que é o terceiro setembro com mais queimadas desde o início da divulgação dos dados pelo INPE em 1998. Este mês está atrás somente dos anos de 2010 e 2017, quando foram registrados 1923 e 1930 focos de fogo respectivamente.



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2020