Segunda-feira, 6 jun 2022 - 09h27
Por Maria Clara Machado

Veja o que a chuva torrencial que antecipou Alex fez na Flórida e em Cuba

A evolução da tempestade tropical Alex, a primeira da temporada de furacões do Atlântico de 2022, levou chuva torrencial para áreas costeiras do oeste de Cuba e do sul da Península da Flórida durante o fim de semana. Grandes inundações surpreenderam Miami e dezenas de desabamentos ocorreram em Havana.

Grandes inundações atingiram Miami no fim de semana, após chuvas de mais de 300 mm. Crédito: Reprodução Redes Sociais/@jpetramala
Grandes inundações atingiram Miami no fim de semana, após chuvas de mais de 300 mm. Crédito: Reprodução Redes Sociais/@jpetramala

Você também pode gostar de ouvir nossos Podcasts!

Foram dias de alerta com a passagem das instabilidades de um ciclone em potencial, que daria origem à tempestade tropical Alex sobre o Atlântico no dia seguinte. A chuva alcançou entre 150 até 370 mm em áreas do sul da Flórida.

As chuvas fortes, ventania e inundações atingiram Fort Lauderdale e Miami entre a sexta-feira e sábado. Segundo informações dos bombeiros divulgadas pela imprensa internacional, cerca de 100 veículos ficaram parados nas enchentes e estradas estavam inacessíveis em Miami.

Carros ficaram boiando em meio aos alagamentos em Miami. Crédito: Reprodução Redes Sociais/@jpetramala
Carros ficaram boiando em meio aos alagamentos em Miami. Crédito: Reprodução Redes Sociais/@jpetramala

O Serviço Nacional de Meteorologia (NWS) registrou alguns recordes para o dia 4 de junho: choveu a quantidade de 114 mm em West Palm Beach, 167 mm em Fort Lauderdale, 133 mm em Miami.

Nos acumulados totais em 24 horas, algumas estações do NWS em Miami registraram mais de 300 de chuva:

Volume de chuva registrado em estações de Miami entre a sexta-feira e este domingo. Crédito: NWS
Volume de chuva registrado em estações de Miami entre a sexta-feira e este domingo. Crédito: NWS

Antes de atingir o sul da Península da Flórida, as perturbações também levaram fortes chuvas para o oeste de Cuba. O governo de Cuba informou que ocorreram inundações e dezenas de desmoronamentos em Havana e outras três províncias. No total quase 300 imóveis foram destruídos e há informações sobre três vítimas fatais e um desaparecido.

Imagem de satélite mostra as grandes áreas de instabilidade e nuvens de chuva atuando entre Cuba e a Flórida e que posteriormente deram origem à tempestade tropical Alex. Crédito: NOAA
Imagem de satélite mostra as grandes áreas de instabilidade e nuvens de chuva atuando entre Cuba e a Flórida e que posteriormente deram origem à tempestade tropical Alex. Crédito: NOAA

O Centro Nacional de Furacões informou no boletim da manhã de hoje, dia 6 que a tempestade Alex está produzindo ventos máximos sustentados de 100 km/h. O centro da tormenta está afastado da costa dos Estados Unidos, localizado a 220 quilômetros ao noroeste das Bermudas, em alto mar.

Um aviso de tempestade tropical está em vigor para as Bermudas e o arquipélago sente os ventos intensos de Alex no decorrer do dia e tem estimativa de chuva de até 50 mm. A tempestade tende a enfraquecer entre hoje e amanhã até que se dissipe sobre o oceano, afirma o NHC.

Trajeto estimado para a tempestade tropical Alex nos próximos dias. Crédito: NHC
Trajeto estimado para a tempestade tropical Alex nos próximos dias. Crédito: NHC

Esta deve ser mais uma temporada de furacões acima da média com a projeção de até 21 tempestades tropicais nomeadas e 10 furacões, de acordo com a NOAA.

Acesse também:

Temporada de furacões 2022 poderá ser sétima consecutiva acima do normal

Agatha é o furacão mais forte a atingir a costa do México em maio em 73 anos

Você também pode gostar de ouvir o Podcast Quantos furacões vem por aí em 2022?



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022