Quarta-feira, 18 mai 2022 - 09h56
Por Maria Clara Machado

Ventos poderosos de Yakecan passam de 150 km/h e derrubam caminhão no Sul do Brasil

O centro da tempestade subtropical Yakecan, nomeada pela Marinha do Brasil, chegou rente ao litoral norte do Rio Grande do Sul e as rajadas de vento intensas durante a terça-feira derrubaram árvores, postes e tombaram até um caminhão. O vento forte também potencializou o frio e contribuiu para a ocorrência de neve nas Serras gaúcha e catarinense.

Reprodução Imagem de caminhão tombando pela força dos ventos em frente ao posto da Polícia Militar Rodoviária em Bom Jardim da Serra (SC). Crédito: Divulgação PMRv
Reprodução Imagem de caminhão tombando pela força dos ventos em frente ao posto da Polícia Militar Rodoviária em Bom Jardim da Serra (SC). Crédito: Divulgação PMRv

A ventania deixou pelo menos 20 municípios gaúchos principalmente do sul e do leste do estado sem energia elétrica. Inúmeras árvores e postes de energia caíram e o telhado de um hospital em Tramandaí foi destelhado.

Ainda nesta manhã de quarta-feira aproximadamente 226 mil imóveis estão sem luz, incluindo a região de Porto Alegre, segundo informações divulgadas pela Defesa Civil.

Ventos de 80 km/h derrubaram árvores em Porto Alegre. Crédito: Divulgação Empresa Pública de Transporte de Circulação de Porto Alegre
Ventos de 80 km/h derrubaram árvores em Porto Alegre. Crédito: Divulgação Empresa Pública de Transporte de Circulação de Porto Alegre

Força de um furacão
O aviso especial da Marinha emitido ontem estimava o valor da pressão central da tempestade subtropical Yakecan em 994 hPa, caracterizando o sistema como muito intenso. As rajadas vento eram de 83 km/h no setor sul da tempestade e entre 64 km/h a 111 km/h no raio de 700 quilômetros ao redor do centro do sistema, enquanto Yakecan se movia para rumo oeste-noroeste, em direção a costa do Rio Grande do Sul.

A posição da tempestade Yakecan muito perto da costa do Rio Grande do Sul provocou rajadas de vento surpreendentemente de 157 km/h na estação meteorológica no Mirante da Serra do Rio do Rastro, em Bom Jardim da Serra, a quase 1500 metros de altitude em Santa Catarina.

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) flagrou um caminhão sendo tombado no momento dos ventos com força de um furacão na madrugada. Um homem estava no interior do veículo, mas não se feriu.

Alertas em vigor
Yakecan começou a se afastar para o mar e está na altura de Santa Catarina nesta quarta-feira, dia 18. Os alertas de ventos fortes e ressaca continuam ativos pela Marinha do Brasil.

Imagem de satélite mostra a tempestade subtropical Yakecan sobre o mar, ao largo do leste de Santa Catarina às 11:30 UTC desta quarta-feira. Crédito: GOES-16/NOAA/Apolo11
Imagem de satélite mostra a tempestade subtropical Yakecan sobre o mar, ao largo do leste de Santa Catarina às 11:30 UTC desta quarta-feira. Crédito: GOES-16/NOAA/Apolo11

Durante o dia os ventos continuam fortes no leste do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina e aumentam. Há alertas de mar grosso e muito grosso com risco de ressaca em determinados trechos.

As ondas podem variar de 2,5 metros a 3,5 metros entre Mostardas (RS) e Laguna (SC) com aviso de ressaca até a sexta-feira, dia 20. Também permanece o aviso de ressaca com ondas de até 3 metros entre o norte de Laguna (SC) e Arraial do Cabo (RJ) até a quinta-feira.

Neve em maio depois de 15 anos
A combinação dos ventos intensos de Yakecan, a entrada de muita umidade e o frio de uma forte massa polar, proporcionou a neve que caiu em várias cidades serranas do Sul.

Neve registrada por morador de Urubici (SC) na noite do dia 17 de maio. Crédito: Imagem divulgada pelo twitter @jardeljoaquim
Neve registrada por morador de Urubici (SC) na noite do dia 17 de maio. Crédito: Imagem divulgada pelo twitter @jardeljoaquim

Nevou em cinco cidades na serra catarinense nesta terça-feira, dia 17, entre elas Urupema e Bom Jardim da Serra. Há quinze anos não nevava em Santa Catarina em maio.

Cambará do Sul e São José dos Ausentes, na serra gaúcha, também registraram neve, confirmando a previsão dada pelos principais centros de meteorologia.

O frio intenso esperado para São Paulo aconteceu nesta madrugada com temperatura beirando os 6°C na capital. Segundo as medições do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), foi o frio mais intenso para maio desde 1990.

Acesse também:

Marinha comunica a formação da tempestade Yakecan na costa do Rio Grande do Sul

Ciclone raro deixa em perigo o Sul do Brasil, o Uruguai e a Argentina

La Niña vai continuar e inverno pode ser rigoroso no Brasil

Ouça o Podcast É tempo de preparação para a nova temporada de furacões




Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2022