Vinicius JPDCL    Lindoia - SP em 15/09 - 10h47   
Bom dia! Rogério, na pagina "Acompanhe a situação dos reservatórios da Grande SP" o índice VOLUME MORTO mostra -0,4%. O que é isso? Outra coisa, pelo que eu estou observando, me parece que o sistema Alto Tietê, vai chegar ao ponto ZERO, juntamente com o sistema Cantareira, mesmo tendo hoje 13,5%, perde mais água do que o Cantareira...vc tb observa isso?

Rejaine Monteiro Belo Horizonte-MG comentou em 19/09 - 09h58
Bom dia. Saiu hj no Jornal O Tempo (BH) uma reportagem sobre a situação crítica em que se encontra o sertão mineiro devido a seca. Resolvi compartilhar com vocês a reportagem:

[Ver site]

rone abbad RIBEIRÃO PRETO-SP comentou em 16/09 - 18h09
concordo contigo Lab
Lab Itapira-SP comentou em 16/09 - 04h36
Cada pessoa carrega consigo 70% de água em seu corpo, cada casa tem uma caixa de água, e muitas tem piscinas, o quero dizer é que, falar em racionamento de água com este aumento desenfreado de população é utopia.
phellipef Patrocínio, MG e Florianópolis, SC-XX comentou em 16/09 - 01h40
Entendi. Pesquisando rapidamente, de 2010 a 2011 choveu acima do normal, já em 2012 choveu abaixo da média e fez muito calor, já em 2013 choveu dentro do normal nas cidades do sul de MG. A chuva foi frequente até Dezembro de 2013, porém a partir de Janeiro/2014 ficou escassa e irregular devido ao forte bloqueio, que também proporcionou calor recorde, o que pode ter aumentado a taxa de evaporação, visto que os dias nessa época tem uma duração de aproximadamente 13h.
rone abbad RIBEIRÃO PRETO-SP comentou em 15/09 - 21h31
Infelizmente as nossas cidades, principalmente de médio e grande porte estão inchando e não desenvolvendo , fazendo condomínios de luxo, bairros inteiros nas areas de baixa renda , mas tudo isso sem um plano diretor ou aplicar um que possa limitar isso, por que se pensam na concorrência , no lucro, e fora o que já foi dito aqui a respeito do grande desperdício de água através do consumo temos também as ligações clandestinas!! Desde já gostaria de parabenizar os comentários e da rica informação compartilhada por todos, muitas destas que eu particularmente não sabia, finalizando espero que este problema aqui comentado possa fazer que todos no nosso país possam refletir e lutar para que se gerencie melhor nossos recursos naturais, apesar que se tratando de Brasil e de varias de nossas autoridades e uma parcela do povo eu duvido muito!!!!
AndersonMLima Colatina-ES comentou em 15/09 - 20h35
Um dos motivos também pelas chuvas mal distribuídas e pela passagens de fracas instabilidades é devido a falta de umidade proveniente da Amazônia, no qual o desmatamento provocado nos últimos anos faz com que, menos umidade seja lançada na atmosfera, com menos umidade no ar, as instabilidades que passam ao largo da costa da região sudeste não conseguem se alimentar do corredor de umidade e assim causem chuvas de fraca intensidade ou de forma isolada.

Menos chuva, menos água nos reservatórios que sofrem com a estiagem prolongada.

Vinicius JPDCL Lindoia-SP comentou em 15/09 - 20h01
Na matéria citada...desviar água da agricultura = aumento de preço, desemprego e consequentemente aumento de violência... Multar quem usa em excesso = Só para constar, o consumo de água das pessoas representa 8% do total consumido, os outros 70% são consumidos pela indústria e 22% pela agricultura. Fala-se em penalizar os gastadores, mas alguns tb vão achar justo penalizar as indústrias e os agricultores. Mas se eles forem penalizados, fica claro de que quem vai pagar a conta, somos nós mesmos. Economizar para eles significa reduzir a produção, portanto geraria desemprego. Otimizar as máquinas, significa aumentar os custos para essa implementação. E aí? alguém resolve essa conta?
Administrador São Paulo-SP comentou em 15/09 - 19h43
Exato Vinicius, é uma conta que não fecha. Naturalmente, não se trata apenas do Clima, mas também de planejamento e gestão dos recursos naturais, coisas que nós brasileiros não temos o costume de lidar.

Não é um problema simples de resolver. Lembram quando, recentemente, o governador de SP e RJ discutiram por causa de merreca de água do rio Paraíba do Sul? Na realidade, ninguém tinha razão, pois tratava-se de discutir sobre prioridades diferentes (consumo humano ou geração de energia). Esse tipo de coisa não se discute em nível provinciano, como perceberam os dois governantes. É preciso um grupo federal que oriente a política de uso da água, mas isso ainda não existe de forma apartidária, infelizmente.

Deixo aqui uma excelente entrevista que saiu na Folha de hoje, que fala exatamente sobre esse assunto. Vale a pena ler. [Ver site]

Vinicius JPDCL Lindoia-SP comentou em 15/09 - 19h26
Vamos a uma conta boba. 400 bilhões de litros de reserva. 185 bi para se usar em 2014 e 215 bi para garantir 2015. Mas fala-se em utilizar mais 106 bi da reserva de 2015 antes do fim de 2014. Portanto 2014 termina com gasto de 291 bi de litros. Agora alguém consegue me responder a seguinte pergunta? Se nós usarmos 291 bi em 2014, o que é que a gente faz com 109 para 2015? Sinceramente, se usar essa metade da 2ª reserva, vamos estar dando um tiro no próprio pé! Apenas retardando o óbvio!
Vinicius JPDCL Lindoia-SP comentou em 15/09 - 18h49
De Sexta para Sábado e de Sábado para Domingo, de dia fez calor e a noite esfriou, me lembrando muito o clima do deserto. Será que as cordilheiras não estão mais funcionando, bloqueando os ventos, criando chuva e nos proporcionando um clima ameno, e esta acontecendo como nos outros continentes que se encontram na mesma posição geográfica que a nossa? Ex Sul da Africa e norte da Austrália que tem o clima de deserto, pois não tem cordilheira?
Vinicius JPDCL Lindoia-SP comentou em 15/09 - 18h41
Eu ia fazer esse comentário agora Rogério, pois de janeiro a Julho de 2014 no Cantareira, o índice que eu tenho aqui é de 533 mm, ou seja 57% da media que é de 925 mm. Não tenho o de Agosto, mas pelo visto não sai muito fora disso.
Administrador São Paulo-SP comentou em 15/09 - 18h26
Olá Phellipef, seu raciocínio está correto, mas o problema da falta ATUAL de falta de água nos reservatórios ocorre principalmente em decorrência da falta de chuvas nas cabeceiras localizadas no sul de Minas Gerais.

Com relação ao planejamento, o raciocínio também está correto.

phellipef Patrocínio, MG e Florianópolis, SC-XX comentou em 15/09 - 17h56
Concordo com o que foi dito pelo Marcos, existem ciclos naturais da terra. Sempre tivemos alguns anos que são mais chuvosos e outros mais secos, o principal culpado da falta da água é a falta de planejamento e estruturação.

Acumulados de chuva dos últimos 5 anos: 2009: 1883,6 mm, 2010: 2125,4 mm (segundo ano mais chuvoso da história), 2011: 1680,5 mm, 2012: 1886,9 mm e 2013: 1501,5 mm.

A média anual de SP (capital) no período de 1993/2013 é de 1419,3 mm. Choveu acima da média em todos os últimos 5 anos pelo menos. Se nossos governantes tivessem feito uma melhor estruturação e planejamento dos recursos hídricos e aproveitado esse excesso de 1981,4 mm que caiu nestes últimos 5 anos, provavelmente a situação não estaria no ponto que chegou. Claro que não depende apenas dos nossos políticos, nós também temos que fazer nossa parte economizado e evitando desperdício.

De 1900 até 2000, tivemos pelo menos duas secas muito piores que essa, na verdade, o que ocorre em SP (capital) nem pode ser chamado de seca, pois a chuva está dentro da média, até 31 de Agosto choveu 835,6 mm no Mirante de Santana, cerca de 70 mm a menos que a média.

Dados da seca de 1963, que foi possivelmente a pior do século: [Ver site]

Informações da seca de 1924/1925, que causou o colapso do abastecimento de água e energia em SP (capital): [Ver site]

Regiões do interior de SP e também em MG, estão sim passando por uma seca, sendo possivelmente a pior desde 2001. Nestes últimos 5 anos, a precipitação ficou abaixo da média em 2012, nos demais anos, ficou dentro ou acima do normal.

João DS Uberlandia-MG comentou em 15/09 - 16h02
Boa Tarde, creio que é preciso uma ação imediata no minimo nos moldes da energia elétrica a anos atras, onde a elevação do consumo poderia ser penalizada com uma multa muito alta, infelizmente o ser humano só aprende quando dói no bolso, vejamos que estou em Uberlândia-MG apesar de estar aqui em um alerta amarelo, mas sem falta de água e creio que isso por um bom tempo ainda não venha acontecer. mas todos nós sabemos que o problema esta batendo na porta e tenho uma vizinha que sem exceção lava todos os dias seu quintal e toda a frente de sua casa, São Paulo ou em todo o estado acredito que muitos ainda não tem a noção da situação ou se sabem enquanto jorrar água pela torneira não estará nem ai, é preciso um plano urgente não só para este ano, mas sim para que todo o sistema seja recuperado em seus níveis máximo, mas para isso tem que doer no bolso, multas pesadas e até corte de água por um certo período, apesar também que pela lei, água é item essencial e não pode ser cortada, mas cortam quando não pagamos, então creio que com uma multa pesada e restabelecer a ligação somente após 10 dias e o pagto da multa teremos uma solução para o desperdício.Mas isso colocado em pratica hoje seria um fator negativo ao Governador candidato a reeleição do estado de SP, então vejamos se não teremos uma ação nestes moldes, caso as chuvas não venham, após as eleições "por favor longe de mim misturar politica com a discussão mesmo porque estou em MG"
Marcos Passetti jose bonifacio-SP comentou em 15/09 - 14h42
Boa tarde amigos...A situação é alarmante não só na capital mas em todo sudeste,cidades do interior tbm enfrentam e enfrentarão problemas jamais vistos na história caso as chuvas não correspondam ao volume pluviométrico esperado para o verão. Há grande possibilidade de que isso venha a ocorrer pois o Oceano Pacifico sinaliza adentrar a estação nas mesmas condições do verão passado e o atlântico em condições mais frias podendo agravar a situação... Eu não sou adepto do aquecimento global tal como é apresentado pela mídia (Devido a ação humana) eu acredito em ciclos naturais da existencia da terra... Ha relatos de 7 anos de seca seguidos no antigo Egito, tbm ha registros de estiagem prolongada nas civilizações Maias e Astecas...Quanto a cantareira a segunda reserva de volume morto com mais de 100bilhoes de litros ja foi autorizada a segunda gambiarra...ou seja estamos a merce do próximo verão!
Lab Itapira-SP comentou em 15/09 - 14h35
Como administrador disse abaixo ( A quantidade de pessoas aqui em SP ultrapassou a capacidade de recursos naturais que a cidade/estado podem oferecer.)Isso quer dizer que as cidades que não oferecem mais suporte Hídrico começara a ter saída de pessoas e onde elas vão? Amazônia se prepare!!! Quem tiver mais opinião a respeito que se pronuncie..
João DS Uberlandia-MG comentou em 15/09 - 13h12
Boa tarde a todos, hoje a mídia informou que o sistema cantareira caiu seu nível para 9,1 creio que todas as medidas para um eventual racionamento declarado sera somente após as eleições.
Administrador São Paulo-SP comentou em 15/09 - 12h56
Olá Vinicius! Os valores mostrados no topo são aqueles projetados baseados no mesmo período do ano passado. São calculados diariamente levando em conta o consumo que ocorria naquela data. Se o consumo tivesse sido mantido, esses seriam os valores. Ocorre que, como você sabe, existe um racionamento disfarçado e uma concientização maior das pessoas, então pode-se inferir que o volume informado oficialmente é um reflexo direto dessas medidas. Ou seja, houve forte redução de consumo em relação ao ano passado.

Em relação ao alto-tietê, sua observação está correta. Acredito parte dessa diminuição mais acelerada tenha a ver com manobras da SABESP para levar água de um reservatório para outro, embora em pouca quantidade.

A situação em SP é muito grave. Não tem só a ver com construção de reservatórios. Não chove mais na quantidade necessária e em breve haverá um colapso, o que forçará o super rodízio e elevação muito forte nas contas de água. Não tem mágica.

Essa situação de estiagem prolongada já era prevista há mais de 20 anos devido ao aquecimento global, mas que ainda é negligenciada em todo o mundo. Nos EUA, o nível de diversas represas está alarmante. A represa Hoover, provavelmente a maior dos EUA, atngiu o menor nível desde que foi construida, em 1930.

No Estado de SP. diversas cidades estão sendo abandonadas e trechos da hidrovia Tietê-Paraná estão bloqueados.

Alguns hidrologistas apontam o problema de SP como o início do blecaute hidrológico na Região Sudeste.

Quem quiser, pode fazer um exercíco de pensamento a curto-médio prazo. A situação não é das melhores e podemos estar vivendo o fim do ciclo migratório rumo às grandes cidades. A quantidade de pessoas aqui em SP ultrapassou a capacidade de recursos naturais que a cidade/estado podem oferecer.

Vinicius JPDCL Lindoia-SP comentou em 15/09 - 10h49
Ops...pois perde mais água do que o Cantareira...vc tb observa isso?













Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2020
Política de Privacidade