Dias   1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |
16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 |


    1
Anônimo      
Alô, alô pessoal do PG, boa tarde! Em homenagem a matéria postada no Apolo 11 sobre o “suposto” óvni, eu coloco o link do vídeo abaixo, pois tem tudo haver. Vocês se lembram do Desafio de Beakman? Tudo tem uma explicação! Vejam: [Ver site] Carlos Alberto


    2
Thiago      
Olá Globais! Esse apagão no Nordeste de instantes atrás pode ter alguma relação com a emissão de ventos solares ontem da Coroa Solar?
Administrador comentou
Não. O problema é que temos uma infraestrura de transmissão péssima, principalmente no Nordeste.
everton dos santos comentou
Apagão causado por queimada no Piauí.
Astroman comentou
Um sistema que cai por causa de uma reles queimada? Estamos bem.
Administrador comentou
Por isso eu disse que o problema é a infraestrutura.
Rejaine Monteiro comentou
Falta de infra-estrutura, manutenção, planejamento, investimentos, planos de contingência e por aí vai...
StarchildAninha comentou
Eu não acho que uma reles queimada faria isso. Fonte: Estudando sempre e ouvindo as pessoas.


    3
Paula B      
Olá, boa tarde, alguém leu sobre isso ? Rogério, desculpe minha ignorância, mas não entendi direito! O que pode acontecer com nosso planetinha ???? Obrigada![Ver site]
Astroman comentou
Posso comentar, Paula? A meu ver não acontecerá nada. O título da matéria induz ao erro ao fazer imaginar que há algo diferente acontecendo do que seria esperado. Usando "NÃO ESTÁ SINCRONIZADO" o título - muito mal redigido - leva a pensar que um dia já esteve. Já no primeiro parágrafo da matéria está escrito que "este movimento não é sincronizado", ou seja, o núcleo do planeta não É sincronizado com a rotação e portanto o uso de ESTÁ para definir um estado permanente de não-sincronizacão é equivocado. A variação de velocidade do núcleo ao longo do tempo é que pode levar a conclusões sobre a formação do campo magnético da Terra em diferentes épocas. É isso Rogério? As implicações de um campo magnético mais forte ou fraco foge ao meu conhecimento e gostaria de ouvir de pessoas com mais experiência no assunto. Agradeço de antemão e peço desculpas se fui intrometido.
Administrador comentou
Temos essa materia publicado no Apolo11: [Ver no Apolo11]
Astroman comentou
A intensidade do campo magnético varia em proporção à velocidade do núcleo?
Astroman comentou
Eu mesmo respondo. Como não obtive resposta, pesquisei por minha conta. A resposta que achei é incompleta e gostaria de saber se alguém poderia relacionar a VELOCIDADE do fluxo de ferro líquido que gera correntes elétricas que por sua vez gera os campo magnético com a INTENSIDADE do mesmo? Ou seja, a intensidade do campo varia de acordo com a velocidade do fluxo, que como diz o estudo, varia ao longo do tempo? O campo magnético pode enfraquecer ou fortalecer em função da variação dessa velocidade?
Astroman comentou
Achei um estudo do MIT mostrando que a Voyager 2 mediu uma grande variação de velocidade de um tal de "fluxo quasi-periodic" no Sol e que, a partir disso se pôde relacionar a intensificação da força do campo magnético com a variação dessa velocidade. Dessa forma, concluo que o a força do campo magnético da Terra DEVE se intensificar ou enfraquecer de acordo com a variação positiva ou negativa na velocidade do núcleo do planeta assim como a eficiência das funções que exerce. Se errei alguma coisa gostaria que alguém aparecesse para corrigir, por favor.
Administrador comentou
Olá Astroman, sim a intensidade varia de acordo com a velocidade relativa entre as camadas externa e interna do núcleo. O chamado "efeito dínamo".
Paula B comentou
Imagina Astroman, perguntei ao Rogerio por ser o administrador. Mas toda e qualquer informnação sobre isso é de grande valia! Obrigada a todos
Paula B comentou
A minha real preocupação: Seria possível acontecer um "cataclisma" caso a rotação continuasse a aumentar ou diminuir ? Obrigada novamente,)
Astroman comentou
Grato, Rogério.


    4
Klaus      
Boa noite...O quadro mostra uma sequencia de imagens de uma CME entre aproximadamente 16:00UTC e 21:00UTC, "possivelmente" com origem em uma erupção de filamento do lado do Sol não visivel para nós. As imagens são do STEREO Ahead COR 2.


    5
everton dos santos      
É impressionante a evolução desse pequeno vulcão de lama que surgiu em Roma. No vídeo em anexo, atividade intensa hoje e aqui, [Ver site] no fim de semana. A indonésia sofre com um vulcão de lama, mas que foi causado por atividade humana [Ver no Apolo11]
Astroman comentou
Everton, você tem mais informações da origem desse vulcão.? De onde vem o material que está expelindo, profundidade estimada, etc...? POde ser um link mesmo. Obrigado.
everton dos santos comentou
[Ver site] Da uma olhada aqui Astroman. Joga no tradutor. Apesar do termo vulcão de lama, a explicação é vazamento de gás subterrâneo.
Astroman comentou
Obrigado Everton. Achei esse vídeo do Piparo, em Trinidad, que em 1997 causou a evacuação de 31 famílias por uma erupção que atingiu uma área de 2,5km2. Apesar de parecerem inofensivos, eu arriscaria dizer que, numa cidade como Roma, uma pequena erupção como essa causaria alguns transtornos.
Astroman comentou
Achei também que, por estarem associados a gás e óleo, podem expelir chamas a centenas de metros de altura e toneladas de lama. Sobre profundidade, achei algo que fala em depósitos de lama que ficariam a 812km de profundidade. Essa medida me parece específica demais para ser uma regra geral mas dá uma ideia de quão profunda pode ser a origem desses "seres" geológicos.



Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021
Política de Privacidade