Terça-feira, 14 set 2021 - 10h51
Por Maria Clara Machado

Incêndios em áreas de Cerrado e Caatinga da Bahia e do Piauí mais que dobraram este ano

Os focos de incêndio estão disparados em áreas de Cerrado e Caatinga da Bahia e do Piauí nesta primeira quinzena de setembro e ambos os estados estão entre os cinco primeiros que mais estão queimando no Brasil. Equipes do Corpo de Bombeiros precisaram reforçar o combate ao fogo em incêndios, que atingem pelo menos cinco municípios do oeste baiano desde a semana passada.

Imagem ilustratriva do combate aos incêndios este mês na Bahia. O estado teve um aumento de 179% no número de focos até agora na comparação com 2020. Crédito: Divulgação Corpo de Bombeiros da Bahia @cbmba193
Imagem ilustratriva do combate aos incêndios este mês na Bahia. O estado teve um aumento de 179% no número de focos até agora na comparação com 2020. Crédito: Divulgação Corpo de Bombeiros da Bahia @cbmba193

Bahia tem aumento de queimadas superior a 170%
Um incêndio na Serra da Bandeira, que estava consumindo vegetação nativa de cerrado há oito dias foi controlado na quarta-feira, mas espalhou muita fumaça sobre o município de Barreiras afetando a qualidade do ar e as condições respiratórias dos moradores. As colunas de fumaça eram vistas do centro da cidade e chegou até estradas e às pistas do aeroporto do município.

Vinte e cinco bombeiros de Salvador foram enviados a Barreiras, no oeste da Bahia, para se juntar aos outros 24 e ajudar no controle das chamas. Além de Barreiras, também há grandes focos de fogo nas regiões de Luís Eduardo Magalhães, Morpará e Correntina, no oeste do estado e em Palmeiras e Lençóis, na Chapada Diamantina.

Incêndio se espalhava na região da Chapada Diamantina na última sexta-feira, dia 10. Crédito: Divulgação Corpo de Bombeiros da Bahia @cbmba193
Incêndio se espalhava na região da Chapada Diamantina na última sexta-feira, dia 10. Crédito: Divulgação Corpo de Bombeiros da Bahia @cbmba193

O Corpo de Bombeiros da Bahia afirma que a situação nos municípios do oeste baiano é considerada crítica e bem pior do que foi o ano passado, impulsionada pelas temperaturas extremas e a umidade do ar muito baixa que aumentam o risco de fogo.

Segundo o monitoramento de queimadas realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a Bahia registrou 1701 focos de queimadas desde o início de setembro. De janeiro de 2021 até agora foram 5733 focos de fogo, um aumento de 179% na comparação com mesmo período de 2020.

O oeste da Bahia é predominantemente uma área nativa de Cerrado. O centro e norte do estado são áreas de Caatinga, enquanto o sul e o litoral possuem cobertura vegetal de Mata Atlântica.

Imagem de satélite do dia 13 de setembro mostra o detalhe do rastro de fumaça cortando o oeste da Bahia. Crédito: Worldview/NASA
Imagem de satélite do dia 13 de setembro mostra o detalhe do rastro de fumaça cortando o oeste da Bahia. Crédito: Worldview/NASA

Piauí lidera o ranking de queimadas do Brasil
A preocupação com o avanço dos incêndios também é grande no Piauí. O estado estava com 2312 focos de queimadas entre os dias primeiro e treze de setembro, liderando, no dia 13, o ranking nacional de queimadas baseado no monitoramento por satélites.

De acordo com dados divulgados pelo INPE, o Piauí registra 6361 focos de queimadas desde janeiro de 2021, um aumento de 107% na comparação com o mesmo período de 2020.

Imagem de satélite do dia 13 de setembro mostra dezenas de focos ativos sobre o sul do Piauí. Crédito: Worldview/NASA
Imagem de satélite do dia 13 de setembro mostra dezenas de focos ativos sobre o sul do Piauí. Crédito: Worldview/NASA

Há quatro dias um incêndio deu um susto nos brigadistas ao atingir o Parque Nacional da Serra das Confusões, no sul do Piauí, a maior área de preservação de Caatinga do mundo, com cerca de 1 milhão de hectares. O fogo pegou uma área pequena do parque e conseguiu ser controlado, segundo os bombeiros.

Já em São Raimundo Nonato, também no sul do estado, um grande incêndio deflagrou no sábado próximo ao Parque Nacional da Serra da Capivara, outra região importante da história que concentra sítios arqueológicos.

Acesse também:

Focos de queimadas já aumentaram 86% em Minas Gerais este ano



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2021