AGRADECIMENTOS

Agradecemos a todos os colaboradores do Painel Global que têm tornado possível a continuidade do nosso trabalho, permitindo que os conteúdos permaneçam gratuitos e acessíveis a todos.

Nosso Muito Obrigado!

A campanha continua. Colabore também. Clique aqui.

Quinta-feira, 10 set 2020 - 15h21
Por Maria Clara Machado

Número de queimadas no Pantanal é o maior em 22 anos

O pantanal está queimando em um ritmo avassalador desde agosto e o número atualizado do total de focos já ultrapassa a marca dos 12 mil, recorde no bioma desde que começaram as medições e o monitoramento pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em 1998.

Grande queimada no pantanal é registrada em 17 de agosto de 2020. Crédito: Foto Mayke Toscano/Secom-MT/Fotos Públicas.
Grande queimada no pantanal é registrada em 17 de agosto de 2020. Crédito: Foto Mayke Toscano/Secom-MT/Fotos Públicas.

Dados divulgados diariamente pelo INPE indicam que foram registrados 5935 focos de calor no pantanal só no mês de agosto, quando as queimadas dispararam na região, durante o período mais seco do ano. O número de focos chega a 2414 nos dez primeiros dias deste mês de setembro.

O total de incêndios e queimadas desde o começo do ano atinge o valor de 12567, o maior registrado em 22 anos pelo INPE.

Os anos de 2005 e 2002 também estão entre os piores em termos de focos de queimadas no pantanal. O total passou de 12400 em ambos os anos, mas ainda inferior ao que está se observando até agora em 2020.

O fogo que continua castigando o pantanal já devastou 2,3 milhões de hectares, segundo dados divulgados pelo Centro Nacional de Prevenção e Combate aos incêndios florestais do Ibama (Prevfogo). São inúmeros animais e aves que estão vulneráveis e ameaçados como jacarés, macacos, cobras, antas e a arara azul.

Inúmeros animais e aves estão ameaçados pelo fogo que já consumiu 2,3 milhões de hectares do pantanal este ano. Crédito: Divulgação Governo de Mato Grosso do Sul.
Inúmeros animais e aves estão ameaçados pelo fogo que já consumiu 2,3 milhões de hectares do pantanal este ano. Crédito: Divulgação Governo de Mato Grosso do Sul.

Sinal vermelho
O monitoramento dos focos de fogo é realizado baseado em dados de satélites da NASA, que detectam os pontos de calor sobre o Brasil.

Sabe-se que a falta de chuva, o calor intenso e ventos agravam a situação para a proliferação dos incêndios e da fumaça nesta época do ano, por isso apenas uma faísca pode gerar uma grande queimada. A grande maioria dos incêndios, seja intencional ou não, é causada pela ação humana.

Os pesquisadores do CEMADEN alertam para o impacto do uso e a ocupação do solo com o crescimento de fazendas na região nos últimos anos. Outra grande influência no bioma é a destruição da Floresta Amazônica, que acaba trazendo consequência no regime de chuva do pantanal.

Califórnia bate recorde de hectares queimados pelos incêndios florestais



Procure no Painel


Links Úteis  |  Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Painelglobal.com.br - Todos os direitos reservados - 2008 - 2020